Márcio Guedes: Campeão sem fazer muita força

Mesmo com foco na Libertadores, Rubro-Negro levou a Taça Guanabara

Por O Dia

Rio - Diante de um Botafogo desarvorado e sem comando, o Flamengo nem precisou jogar bem para vencer por 2 a 0 e levantar antecipadamente a Taça GB. Os primeiros 45 minutos foram bem previsíveis: o Fla, com um time organizado, enquanto o Botafogo vinha para se defender e tentar o contra-ataque. Mas era outra realidade, porque o Fla de Jayme sabe ser, ao mesmo tempo, ousado e cauteloso. Uma incrível falha de Dankler, logo no começo do jogo, permitiu o gol de Gabriel.

Diante de um Botafogo acuado, o Fla dominou com tranquilidade e poderia ter ampliado a contagem. Seu meio-campo, mais povoado e composto, levava nítida vantagem com boas atuações de Cáceres e Gabriel, enquanto o Botafogo se perdia nos passes errados de Bolatti, na omissão de Renato e na solidão de Daniel.

No segundo tempo,o Botafogo tentou reagir, mas sem nenhuma noção e a coisa só piorou após a expulsão anunciada de Airton. No finzinho, Léo fechou o caixão e deu início à festa. Em jogo muito ruim, só podia dar Flamengo, que venceu sem fazer muita força, mas com todo o merecimento.

Flamengo derrotou o Botafogo e se sagrou campeão da Taça GuanabaraAlexandre Brum / Agência O Dia

SEM DESGASTE

O Fluminense jogou ontem mais ou menos como a tabela pedia. O título da Taça GB era complicado e o time só precisava mesmo evitar um vexame. Poupando titulares, obteve um empate com o Duque de Caxias. Nesse regulamento interessa agora a fase decisiva em que o Flu, em tese, é o mais forte. Claro que os reservas não estão à altura dos titulares, mas isso só será problema nas competições nacionais. Não foi uma boa partida, apenas típica deste desprestigiado Estadual.

VELHOS ERROS

O Vasco de Douglas voltou a repetir erros típicos do seu ataque, que costuma se perder nas conclusões e, com o passar do tempo, fica sem penetração e eficiência pela cobrança da torcida. Por incrível que pareça, São Januário não está sendo confortável para o Vasco. Muitas chances foram perdidas em mais uma atuação sem brilho com a percepção de que o time continua o pior dos grandes — uma zebra para a fase decisiva em que a dupla Fla-Flu tem mais força.

CLIMA PESADO

A Fifa anda mordendo e soprando com relação às obras para a Copa no Brasil. Sabe-se que fez algumas exigências exageradas e é bem possível que, no momento, prefira uma posição diplomática para não arranhar a imagem de uma sede escolhida com tanta festa. Mas o país falhou miseravelmente em cumprir as promessas e as obras de infraestrutura ficaram quase todas no papel. A ironia é que o povo brasileiro terá mais a perder do que a velha Fifa.

CONFIANÇA

Se existe ainda um ponto de dúvidas e preocupações na Seleção, está na posição de goleiro. Respeita-se e até se pode aprovar a confiança que Felipão deposita em Julio César , mas não existe garantia de que vai dar certo. Julio, nos seus melhores tempos, falhou em jogos-chave, como na Copa de 2010 e, agora, em fase descendente, vai nos garantir nos momentos difíceis? Só o tempo dirá, assim como se será necessária mudança e se Jefferson daria conta do recado.

O BARCELONA PERDEU A SUA MAGIA

É possível até que, com o seu rico elenco e a dupla Messi e Neymar, o Barcelona se recupere e volte logo a ser campeão. Mas o início de ano está difícil e as derrotas já não são mais exceção. Agora, foi a vez do Valladolid, e Neymar e tampouco Messi apareceram. O time de Tata Martino anda com o esquema travado, perdeu o tic-tac e os dois supercraques não encontram o espaço ideal.

Últimas de Esporte