Por pedro.logato

Rio - A Liga das Américas recebeu o rótulo de ‘Libertadores do basquete’ pela importância do torneio. Um dos craques do Flamengo, Marcelinho também vê semelhanças com a principal competição do futebol do continente.

“Pela catimba e por ser um jogo mais físico”, analisa. É neste clima que o Rubro-Negro vai em busca do inédito título, sexta e sábado, no Maracanãzinho. O primeiro desafio é o Aguada, do Uruguai. Pinheiros e Halcones Xalapa, do México, abrem o Final Four. O fato de ser sede dá mais confiança ao Fla.

Flamengo começa disputa da Liga das AméricasDivulgação

“Jogar em casa é muito importante. Ninguém vai querer fazer festa para os outros. O time está centrado e preparado para vencer”, afirma Marcelinho. O técnico José Neto também ressalta a importância da torcida para o elenco e destacou a frase cantada na arquibancada de que o basquete é o orgulho da Nação: “É um motor que nos move para superar limites, retribuir e fazer o máximo para ser o orgulho dos torcedores.”

PINHEIROS CONFIANTE

O Pinheiros mostra confiança para a Liga das Américas. O time enfrenta o Halcones Xalapa. “Como campeão, somos a equipe a ser batida”, frisou o pivô Rafael Mineiro ao site da Fiba.

DESGASTE URUGUAIO

O Aguada foi o único time que não teve a semana focada no Final Four da Liga das Américas. A equipe de Garcia Morales (foto) jogou ontem pelo playoff uruguaio. Desgaste para os atletas.

PARA DAR A RESPOSTA

O Halcones Xalapa entra na Liga das Américas pressionado pela eliminação na Liga Mexicana. A torcida apoiou o time no último treino antes da viagem para o Rio.

Você pode gostar