Por pedro.logato

Rio - A classificação ainda é possível e só depende do Flamengo. Mas, mesmo que surja uma reação, a verdade é que o time piorou em relação ao seu padrão na Copa do Brasil. As razões são variadas e passam principalmente pela perda de jogadores importantes, como Elias e Luiz Antonio (essa temporária), pela má fase de Paulinho, pelo apagão de Elano e talvez pela cabeça não muito boa de Hernane depois de ser envolvido em uma quase certa venda.

Jayme de Almeida também sofreu com a demora na afirmação de alguns garotos e em erros isolados de jogadores, como Amaral, na partida contra o León, e, agora, de Samir, no escorregão em La Paz. O Fla não foi tão mal assim no ‘morro’ e deve se dar desconto pela altitude.

Houve chance de gol, embora, se não fosse Felipe e também a péssima pontaria dos bolivianos, a derrota seria mais elástica. Foi um jogo previsível, dentro do que se esperava e o Flamengo tentou, mas não superou as suas próprias deficiências. Seria tudo normal se o time não tivesse dado o inacreditável vacilo no empate no Maracanã.

Bolívar venceu o Flamengo em La PazEfe

BOA SURPRESA

Os números de comparecimento da torcida do Botafogo na Libertadores da América são expressivos — quase 110 mil pessoas em três jogos no Maracanã e uma média de 35 mil por jogo, a mais alta entre todos na competição. Mas há uma certa redução a cada jogo, principalmente pela confiança que diminui, apesar das vitórias. No último jogo, foi forte o apoio o tempo todo, mas, após o apito final, vaias foram ouvidas — um comportamento lógico e inteligente.

ÁRDUA VOLTA

Por um lado, dá uma certa pena ver Adriano fazer um imenso esforço para voltar, ora com problemas físicos em série, ora amargando o banco de reservas ou o departamento médico do clube. E se irritar quando entra em campo só por 10 minutos. Mas, infelizmente, ele paga o preço por suas loucuras ou por seus problemas incontornáveis de saúde. Há chance de um retorno razoável, mas a luta está apenas começando. A galera só pode torcer por ele, até em respeito ao seu passado.

O MISTÉRIO

E o Engenhão? Cada vez mais, o longo fechamento, a falta de notícias confiáveis e a presença de tanta gente no local dão força a teorias da conspiração, segundo as quais tudo foi uma jogada política para favorecer o consórcio do Maracanã, que precisava se firmar e se capitalizar no primeiro ano. O Botafogo entrou no prejuízo, foi mal ressarcido e ninguém se importou muito. Não dá para voltar atrás, mas seria pedir muito um prazo para a ‘recuperação’?

RESSACA

Os cinéfilos de carteirinha sabem que essa fase é de entressafra depois dos filmes do Oscar que prosseguem no circuito. Dos lançamentos de ontem, destaque para o indiano ‘The lunchbox’, estreia de Ritesh Batra e com o conhecido ator Irrfan Khan, do recente ‘Aventuras de Pi’. No mínimo, um filme original e curioso. Além dele, vale apostar no francês ‘Prenda-me’ e, dentro da rotina e para quem gosta de filmes de guerra, ‘O grande herói’, com Mark Whalberg.

O PORTO DE PAES SE ISOLA DO ESPORTE

Enquanto ainda era um projeto com boas intenções, alguns espaços olímpicos preencheram a prancheta do Porto Maravilha do prefeito Eduardo Paes, mas, com o aparente sucesso empresarial, o esporte virou empecilho e suas instalações foram redirecionadas para o local certo — na Barra. Pelo menos ninguém vai xingar o esporte pelo caos que a cidade encara e ainda vai encarar por uns bons anos.

Você pode gostar