Belfort condena briga entre Wanderlei e Chael Sonnen: 'Isso me envergonha'

'MMA não é briga, é luta de pessoas preparadas dentro de um octógono', destaca o ex-campeão do UFC

Por O Dia

Estados Unidos - Vitor Belfort utilizou o Instagram para condenar a briga de Wanderlei Silva e Chael Sonnen, transmitida no último domingo, no episódio do TUF Brasil 3. Belfort, que foi treinador na primeira edição do TUF Brasil contra o próprio Wanderlei, fez questão de lembrar o verdadeiro papel das artes marciais na vida de seus praticantes e do preconceito que elas ainda sofrem. O ex-campeão do UFC ainda salientou que atitudes como essas só atrapalham a evolução do MMA.

Leia o desabafo de Vitor Belfort

"As artes marciais entraram na minha vida para significar disciplina e respeito, e isso aconteceu quando eu tinha apenas 8 anos, quando comecei a praticar judô. Vejo a responsabilidade dos meus "heróis esportivos" que influenciaram minha carreira e, por isso, sempre me senti na obrigação de retribuir sendo um atleta que representasse o esporte com a mesma disciplina e respeito que me ensinaram quando comecei, há quase 30 anos.

A briga de Wanderlei Silva e Chanel Sonnen no programa TUF Brasil me envergonha. Primeiro, porque o MMA não é briga, é luta de pessoas preparadas dentro de um octógono. Isso é o que eu faço. Eu não brigo, eu luto. Segundo, não há mais espaço para um esporte como o MMA aceitar este comportamento quando a própria modalidade tem regras claras para atitudes antidesportivas fora dos ringues.

Terceiro e o mais importante, o MMA não pode, jamais, influenciar comportamentos nos quais a discussão termine em agressão como se aquilo fosse o modelo adequado de comportamento. Milhões de jovens sofrem a violência dentro e fora da escola, a televisão não pode ser propulsora deste comportamento e menos ainda os atletas devem representar qualquer atitude violenta por descontrole, seja lá a provocação que for.

Os lutadores de MMA devem, urgentemente, estar cientes de que seu comportamento dentro e fora dos octógonos pode influenciar milhões de pessoas para o bem e para o mal, eu escolhi influenciar para o bem porque o MMA escolheu também este caminho. Qualquer coisa fora disso já deixou de ser MMA, é briga e isso, definitivamente, não me representa."


Últimas de Esporte