Por pedro.logato

Rio - Que a Baixada Fluminense é terra de muita gente talentosa isso ninguém dúvida: garra e força de vontade estão no sangue do seu povo, ou seja, os ingredientes necessários para se fazer um excelente atleta. E foi a partir desta receita que nasceu Renata Januário, de Duque de Caxias, mas atual moradora de Belford Roxo, que integra a seleção brasileira de judô, estando até mesmo cotada para participar das Olimpíadas de 2016.

"Tudo vai depender se eu continuar treinando e me dedicando muito", explica a jovem de 28 anos que desde os 14 tem diariamente uma rotina exaustiva de treinos, "É preciso trabalhar muito, suar a camisa literalmente para mostrar que eu consigo".

A judoca, que faz parte da Confederação Brasileira de Judô há dois anos, acaba de conquistar o bronze nos jogos Sul-americanos, no Chile, sua primeira grande competição de nível internacional, o que deu ainda mais gás a sua carreira.

"Muita gente começa a treinar desde cedo e com 20 e poucos anos já está federada em uma organização. Eu já estou com 28, tenho que correr atrás do tempo", conta a atleta que tem muitos sonhos a se realizar, "Só de fazer parte da seleção brasileira já é um sonho que realizei. Competir pelo meu país não tem preço. Se for nas Olimpíadas, então...".

"A força do esporte na Baixada, em todos as modalidades, é enorme, mas ainda faltam oportunidades", analisa Renata que orgulha-se em dizer que o judô ajudou a melhorar de vida.

"A realidade é muito difícil, então o esporte é uma excelente maneira de melhorar o nosso redor" conta a jovem que foi descoberta em seletivas realizadas em competições locais, na Baixada Fluminense.

"Tem sempre gente da Federação de olho nos eventos e, sem dúvida, os Jogos da Baixada lançarão novos atletas com o tempo", acredita.

Judô faz sua estreia nos Jogos da Baixada em 2014

Em 2014, os Jogos da Baixada contam com nove modalidades que dividirão os mais de 3.200 atletas participantes: futsal, futebol de campo, atletismo, voleibol, natação, handebol, xadrez, basquete e a grande novidade do evento, o judô, esporte que vem ganhando destaque na Baixada, assim como em todo o Brasil.

Mas tudo começou em 1882, quando o japonês Jigoro Kano, um jovem de 23 anos, idealizou o esporte. Com milhares de praticantes e federações espalhados em todos os continentes, o judô se tornou um dos esportes mais praticados do mundo. O grande diferencial deste esporte é que ele não restrige a prática a homens ou pessoas com grande força física, mas estende-se a mulheres, crianças e até idosos.

O judô tem como filosofia integrar corpo e mente. Sua técnica utiliza os músculos e a velocidade de raciocínio para dominar o oponente. Segundo palavras ditas por Mestre Kano, o judô é "a arte em que se usa ao máximo a força física e espiritual". A vitória, ainda segundo seu mestre fundador, representa um fortalecimento espiritual, um caminho, uma conquista. E é no caminho dessa conquista que os jovens da Baixada terão que suar a camisa, ou melhor, o judogui (o nome dado ao quimono no judô).

Oito classes dividem os atletas na competição

Segundo o regulamento, para participar do judô nos Jogos da Baixada 2014, os atletas precisam ter menos de 15 anos e ser federados (para manter a segurança durante a competição, segundo a organização do evento). Cada município pode inscrever dois atletas por classe, sendo um masculino e um feminino: Super Ligeiro (até 36 kg), Ligeiro (de 36 a 40 kg), Meio Leve (de 40 a 44 kg), Leve (de 44 a 48 kg), Meio Médio (de 48 a 53 kg), Médio (de 53 a 58 kg), Meio Pesado (de 58 a 64 kg) e Pesado (de 64 a 72 kg).


Matéria de Gustavo Resende

Você pode gostar