Iscas e Anzóis: Peixe raro cai na rede e assombra Maricá

Cidade da Região dos Lagos teve visitante pouco conhecido

Por O Dia

Rio - O fundo do mar esconde milhares de espécies ainda desconhecidas por pescadores experientes. Foi o caso da captura por rede de um peixe bizarro na semana passada em Maricá, Região Metropolitana do Rio. O animal estranho intrigou os pescadores artesanais da localidade de Cordeirinho, Isis Silva, Paulo Cesar e Eco Nascimento. “Nunca tinha visto nada igual na minha vida com tantos anos de pesca. Parece uma mistura de vários peixes: cabeça de baiacu-arara, nadadeiras de tubarão, corpo e ferrão de bagre e tem até um nariz”, afirmou Isis.

E a pescadora estava na pista correta. De acordo com o biólogo-marinho Marcelo Szpilman, trata-se de uma espécie conhecida vulgarmente como quimera — nome que na mitologia designava monstros, mistura de leão, dragão e cabra. Além das barbatanas laterais de tubarão, chama atenção da quimera o maxilar superior fundido ao crânio, formando protuberância que se assemelha a uma tromba. Por isso, também é chamada de peixe-elefante. Como se não bastasse toda a esquisitice, a quimera, com nome científico de Callorhynchus callorhynchus, tem um espinho ligado a uma glândula de veneno. O animal foi doado para pesquisas ao Instituto Vital Brazil.

“É um peixe raríssimo que eu só conhecia através de fotos. Será uma ótima oportunidade para estudos científicos da espécie”, afirmou à coluna o biólogo e pesquisador Aníbal Rafael Melgarejo Gimenez.

CONDIÇÕES DO TEMPO

Previsão é de ventos de sudoeste e de tempo instável para o fim de semana no Rio. O mar sobe um pouco no domingo. De Lua Minguante, maior variação hoje é de maré alta a 1.0m, às 12h30, e baixa,0.2m, às 19h.

DICAS DE PEIXES

Mestre Canarinho:

(99953-8100), as iscas são sardinha, camarão e lula: Quebra-Mar da Barra — </CW>corvina, papa-terra e carapicu-bandeira; Cagarras — parguinho, marimbá e jaguriçá; Gragoatá/Boa Viagem — corvina, papa-terra e ubarana; Ilhas Pai e Mãe — corvina, marimbá e parguinho.

Carlinhos Piraúna:

Para pesca desembarcada: Pracinha Niemeyer — marimbá; Apoador — lula e olho-de-cão (noite), anchoveta (dia); Praia de Copacabana — papa-terra (noite); Leme — marimbá, anchoveta, carapicu e voador (dia), lula e olho-de-cão (noite); Praia Vermelha — lula (noite); Pista Caminho do Pescador — marimbá e olho-de-cão (dia/noite); Murinho da Urca — carapicu (dia).

Gilberto Ohoishi:

(22-99839-6442) para pesca embarcada: em Arraial do Cabo, na Praia Grande — peruá, pargo e xerelete; na Ponta do Focinho — pescadinha e castanha; na Boca da Barra — palombeta; em Cabo Frio, na Ilha Comprida —maria-mole; na Ilha dos Papagaios — olho-de-cão.

Últimas de Esporte