Por pedro.logato

Rio - De menino a veterano: lá se vão quase três anos de Erick Silva no UFC e ele ainda é tido como promessa entre os meio-médios. Da vitória avassaladora contra Luis Beição, em agosto de 2011, até o confronto com Matt Brown, neste sábado, em Cincinnati (EUA), o Índio alternou altos e baixos e nunca concretizou a esperança depositada. O estilo agressivo, com repertório vasto — de excelente trocação e um jiu-jítsu top de linha —, fez com que o Ultimate lhe desse a chance de ‘demitir’ Jon Fitch e de brecar a evolução de Dong Hyun Kim. Mas Erick falhou em ambas.

Erick Silva fará luta importante neste sábadoReprodução Facebook

As vitórias trouxeram experiência, mas as derrotas deixaram lições importantes que o capixaba, de 29 anos, promete levar para a sua primeira luta principal, no UFC Fight Night 40. A missão é aliar talento com a tática a ser empregada. “Vou manter as minhas características, mas obviamente mudamos um pouco luta a luta. Estou mais experiente e tranquilo. Estudei o jogo dele e tracei uma boa estratégia”. Um grande lutador também é moldado com o tempo. O Combate transmite o evento a partir das 19h.

DUELO ENCRESPADO

Sem lutar desde maio de 2012, Johnny Eduardo tem duelo complicado contra Eddie Wineland, hoje à noite. O americano é quarto no ranking dos galos e já disputou cinturão interino contra Renan Barão. Problema à vista.

A VOLTA DO GUERREIRO

Recuperado de fraturas na tíbia e fíbula — lesão semelhante a de Anderson Silva —, Gustavo Coelho volta a lutar dia 6, no duelo principal do Brasil Fight. Antes disso, ele passará 10 dias treinando com Vitor Belfort e Miltinho Vieira, no Rio.

BARÃO MANDA RECADO

Com tática e língua afiadas, o campeão dos galos do UFC, Renan Barão, dá recado ameaçador para TJ Dillashaw, especialista em quedas. “Se me derrubar, pode ser finalizado”. O duelo será dia 24, em Las Vegas.

Você pode gostar