Por victor.abreu

Estados Unidos - Não é por acaso que a luta entre Alexander Gustafsson e o campeão dos meio-pesados, Jon Jones, foi eleita a melhor luta do ano de 2013, no Oscar do MMA. Derrotado, o sueco pressionou o americano a assinar o contrato que oficializa a revanche.

Jon Jones levou a melhor no primeiro encontro entre os lutadores, em setembro de 2013iG

"Existe um papel para se assinar em cada luta que se faz. É parte do nosso trabalho. Você recebe uma oferta de luta, concorda com ela e assina o contrato. Pronto. É tão difícil assim?", questionou o lutador ao site MMA Junkie.

Sobre a situação de Jones com os negociadores do Ultimate, o Gustafsson disse saber pouca coisa. O foco do atleta está somente em lutar, e se for pelo título, melhor ainda.

"Não sei nada sobre as negociações que estão sendo feitas com ele. O UFC é o meu trabalho. Aqui eu vivo o meu sonho. Portanto, não há o que discutir. Pelo menos para mim é assim", disse.

O local da provável luta também é alvo de discussão. Acostumado a lutar em seu país natal, a Suécia, Gustafsson confirmou que, se preciso, abriria mão da torcida para ter mais uma chance de encarar Jon Jones.

"Claro que eu preferiria lutar na Suécia, que é a minha casa. Mas, se a luta não vai acontecer lá, que seja em Las Vegas. Na verdade, não dou a mínima para o que ele pensa ou faz. Para mim, a questão se resume a assinar o contrato", concluiu Gustafsson.

A principal especulação é que a revanche entre os dois lutadores aconteça no UFC 177, no dia 30 de agosto, no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas.

Você pode gostar