San Antonio leva o título: Tiago Splitter é o primeiro brasileiro campeão da NBA

Pivô dá toco no astro Dwayne Wade, ajuda em mais um triunfo sobre o Miami Heat e vive redenção em noite histórica para ele e para a franquia texana: agora dona de cinco títulos da liga

Por O Dia

Estados Unidos - Um título com sabor de redenção. Um título como prêmio ao basquete coletivo que sabe explorar o talento de cada peça. Um título histórico. O San Antonio Spurs bateu, neste domingo, o Miami Heat por 104 a 87 e se sagrou campeão da NBA, fechando a série melhor de sete em 4 a 1. O pivô Tiago Splitter se eterniza na franquia texana e consegue um feito: é o primeiro brasileiro campeão da principal liga de basquete do mundo.

Tiago Splitter em momento de redenção%3A toco em Dwayne WadeUSA Today Sports

O título é um prêmio a um grupo que viu o campeonato da última temporada escorrer por entre as mãos justamente para o rival Miami Heat. A conquista representa a vitória do basquete coletivo, mas com toques da genialidade de Tim Duncan, Tony Parker e Manu Ginoboli e um elenco gabaritado (o banco fez a diferança no jogo). O quinto título eterniza ainda mais Duncan e o técnico Greg Popovich, presentes nas cinco taças da franquia.

O gostinho de redenção não foi apenas pelo doce sabor do título. Splitter conseguiu dar um toco em um astro do Miami, "apagando" a rejeição que levou de LeBron no ano passado. O argentino Manu Ginoboli, contestado por seu aproveitamento, mostrou que ainda é craque e útil. E como! Ele foi vital na reação de um time que chegou a perder por 16 pontos.

A derrota não apaga o poderio recente de Miami Heat na NBA. Foi a quarta final consecutiva da equipe. O sonho do tricampeonato, porém, terminou e expôs um time de notável qualidade individual, mas que parou na força e qualidade de um time coletivo. LeBron James lutou o quanto pôde, mas amargou mais um vice, o segundo desde que trocou Cleveland por Miami.

LeBron James, com 31 pontos, foi o cestinha do duelo. Chris Bosh anotou 13 pontos, dois a mais do que Dwayne Wade.

Pelo San Antonio, o principal pontuador foi Kawhi Leonard, autor de 22 pontos. Manu Ginobili anotou 19, três a mais do que Tony Parker. 

É festa! San Antonio conquistou o quinto título de NBAUSA Today Sports

O JOGO

Ray Allen foi a cartada do técnico Erik Spoelstra para tentar impedir o título de San Antonio. O Miami começou o duelo com LeBron James, Dwayne Wade, Ray Allen, Rashard Lewis e Chris Bosh. A formação deu certo no início. O Heat começou com tudo e não demorou a abrir vantagem. LeBron comandava o time e logo anotou 12 pontos. O placar apontava 22 a 9 a favor do Miami. Sem se desesperar e com Manu Ginobili em quadra, os donos da casa reagiram. A diferença, que chegou à casa de 16 pontos, caiu para sete no primeiro período (29 a 22).

O jogo virou no segundo quarto. San Antonio mostrou que também tem talentos individuais. O trio Kawhi Leonard, Tim Duncan e Manu Ginobili fez a diferença. Ginobili levantou o ginásio com uma cravada e uma bola de três em sequência. Miami se perdeu, sobretudo ofensivamente, e viu o rival abrir sete pontos (47 a 40). Ginobili terminou o primeiro tempo com 14 pontos, um a menos do que Leonard. LeBron simplesmente fez 20 pontos e ainda pegou oito rebotes. O brasileiro Tiago Splitter anotou três pontos, deu uma assistência e coletou um rebote nos pouco mais de sete minutos que atuou no primeiro tempo.

Monstro! Ginobili brilhou em mais uma conquista do San Antonio SpursReuters

As duas equipes voltaram do intervalo amassando o aro. San Antonio foi o primeiro a superar a sequência de erros. E aproveitou para abrir 14 pontos, numa corrida de 9 a 2. Miami parecia entregue em quadra. Splitter deu um toco sensacional em Wade. Sabor de "redenção" após levar uma rejeitada de LeBron na final da última temporada. As bolas de três texanas maltraram o Miami: a vantagem pulou para 21 pontos. Destaque para os tiros longos de Mills. O banco do Spurs, por sinal, era responsável por 41 dos 77 pontos do time. Os donos da casa entraram no último quarto com 19 pontos de frente (77 a 58) e próximos do título.

O Miami até ensaiou uma reação, mas rapidamente o San Antonio cortou o ímpeto do rival. Não haveria espaço para bola milagrosa de Ray Allen, como no ano passado. A história seria outra, a favor de uma série de craques com DNA coletivo e mordidos pelo tropeço na última temporada. Duncan, Parker (francês), Ginobili (argentino), Leonard, Green, Splitter (brasileiro), Boris Diaw (francês), Mills (australiano), Bellini (italiano)... um time "internacional" com carimbo de qualidade NBA. E justamente campeão!

Últimas de Esporte