Um início de Copa espetacular

Competição ainda não teve nenhum empate

Por O Dia

Rio - Em nenhuma outra Copa até hoje, os estádios ficaram tão cheios nas primeiras rodadas, não importa o local ou a qualidade dos times. Manaus foi uma festa só com Inglaterra x Itália. Natal, debaixo de chuva, tinha o belo estádio lotado com México x Camarões. O mesmo acontecia em Cuiabá, com Chile x Austrália. O que dizer de Recife, às 22h, fervilhando com... Costa do Marfim x Japão!

Seguindo na onda, nunca se viu, de saída, tantos gols, viradas, zebras, goleadas espetaculares e sem 0 a 0 ou sequer empates, pelo menos nos dez primeiros jogos, com média superior a três gols por partida! A Espanha e o Uruguai decepcionaram, mas a Holanda jogou muito mais do que se imaginava, a Costa Rica foi uma bela surpresa, a Colômbia se superou e a Itália confirmou a tradição em Copas mesmo diante de uma Inglaterra forte. Até no pouco expressivo jogo de ontem, em Brasília, a Suíça ganhou no minuto final de forma eletrizante. No puro quesito do futebol, quem sabe não estamos mesmo na Copa das Copas?

Copa do Mundo tem sucesso de públicoMárcio Mercante / Agência O Dia

FATOR DECISIVO

Pouco se tem falado sobre Paulinho, que fez uma excelente Copa das Confederações mas caiu muito de produção nos últimos jogos. O seu futebol é fundamental para o êxito da Seleção porque ele dá o primeiro combate em função defensiva e precisa aparecer nas jogadas de ataque. É um trabalho difícil que exige fôlego e alta qualidade técnica. A sua queda de produção trava a Seleção. Vamos precisar muito de sua recuperação. Se ela não vier, será a hora de Ramires ou Hernanes.

A SAGA DE MESSI

O gol contra relâmpago a favor dos argentinos deu a impressão de que o jogo seria eletrizante. Mas não deu liga de imediato. O primeiro tempo foi ruim de doer, com passes errados e os dois ataques anulados pelas defesas. Messi não aparecia. Na fase final, aos 20 minutos, em jogada típica, o craque fez o seu primeiro gol no Maracanã. Mas, na Copa das emoções tinha que haver dramaticidade no final e o gol bósnio deu um tempero especial à vitória argentina.

Messi fez um golaço no MaracanãAndré Luiz Mello / Agência O Dia

NA EMOÇÃO

Tudo indicava que Suíça e Equador ficariam no empate porque, apesar das muitas chances criadas pelas duas seleções, havia dificuldade nas conclusões. O gol prematuro do Equador exigiu um esquema ofensivo dos suíços e essa não é exatamente a sua praia. O Equador não sabia aproveitar os espaços no ataque. Depois do empate, o jogo se equilibrou, haveria um 1 a 1 natural, mas um lance rápido e mortal no minuto final deu a vitória aos suíços, mantendo o nível de emoção dessa Copa.

ENFIM, O CHIP

Afinal, o chip foi usado em uma Copa para confirmar o segundo gol da França em uma bola de Benzema que bateu na trave e foi para o gol depois da intervenção do goleiro Valladares. No primeiro tempo, domínio francês, que só errava muito nas conclusões — foi preciso um pênalti para Benzema fazer 1 a 0. Com a expulsão no lance de Palacios, o jogo ficou praticamente liquidado. Mas Benzema, o nome do jogo, ainda marcaria o terceiro. A França, no entanto, não convenceu.

Benzema marcou dois gols e participou do terceiro da FrançaReuters

O GRANDE CRAQUE E A GRANDE SELEÇÃO

É uma promessa de muitas emoções em mais um grande jogo nessa Copa. O melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, estará em campo hoje com a sua razoável seleção para enfrentar um dos favoritos da Copa, a Alemanha, que, se não tem um craque-símbolo, dispõe do maior número de jogadores de primeira linha. Lá estarão Neuer, Lahm, Ozil, Khedira, Klose, Muller, Podolski e outros de nível semelhante. Os alemães têm algum favoritismo, mas se Cristiano Ronaldo estiver em um dos seus dias, o caldo pode entornar.

Últimas de Esporte