De volta à Seleção, Dunga teria agenciado venda de jogador

Técnico nega, mas reportagem da ESPN diz que ele recebeu R$ 407 mil

Por O Dia

Rio - Coordenador-geral de seleções, Gilmar Rinaldi foi criticado por exercer a função de agente Fifa e empresariar jogadores até a véspera de assumir o cargo na CBF. Pois o técnico Dunga, segundo reportagem da ESPN Brasil, teria intermediado a venda do meia Ederson (hoje na Lazio), em 2004, do RS Futebol Clube para o grupo Image Promotion Company (IPC).

Dunga pode ter participado de venda de jogadorCarlos Moraes

O treinador nega, mas documentos públicos apresentados na reportagem o contradizem: uma nota fiscal da ‘Dunga Empreendimentos, Promoções e Marketing Ltda’, com a comissão de R$ 407.384,08; o recibo assinado pelo próprio Dunga; e o comprovante bancário de transferência do clube para a empresa do treinador. Haveria, ainda, ligações de Dunga com os agentes da IPC.

Em processo que corre na Justiça do Rio Grande do Sul, Dunga nega que tenha sociedade na IPC, garante “não ter vínculo com a empresa e que esta apenas o representou quando era jogador”. No entanto, no site da WCC, outra conhecida empresa de agenciamento no futebol, Dunga é uma das estrelas e identificado como “um dos nossos últimos clientes”. Além disso, onde consta a relação dos futebolistas pelos quais respondem pela gestão, o técnico aparece em foto recente.

Últimas de Esporte