Por pedro.logato

Rio - Cartilha para jogadores de futebol é uma coisa sempre antipática e que parece de um conservadorismo ridículo. Mas, nesse caso do Barcelona, as recomendações feitas aos jogadores de forma geral e Neymar em particular, fazem todo o sentido.

E pode ser muito bem um alerta para o futebol brasileiro, onde qualquer fim de semana de fama produz tatuagens, roupas e cortes de cabelo exóticos. Não que isso impeça a boa atividade profissional, mas o excesso de atividades paralelas atrapalha e causa uma queda de produção geral.

Por isso tudo a favor das solicitações do técnico Luis Enrique: vida caseira antes dos jogos, nada de agitações nas rede sociais, nada de bebidas alcoólicas. Tudo em nome do foco na profissão para quem ganha milhões por mês. Alguém pode ser contra?

No Brasil, a liberalidade já passou dos limites há muito tempo e esse é um dos fatores da crise no futebol. Neymar é um cara super do bem, pode ser o novo modelo para uma geração mas até ele comete os seus exageros.

Neymar recebeu uma bronca no BarcelonaDivulgação

NÃO VAI CAIR E DAÍ?

Apesar da crise técnica e financeira, tudo indica que o Flamengo pode reagir e escapar da degola. O grupo não chega a ser tão ruim e, particularmente esse ano,há muito time fraco na competição. Mas a perspectiva de obter uma colocação mediana, mais para baixo na tabela, não entusiasma nem acalma a torcida. Bandeira de Mello e Vanderlei garantirem que o time não vai cair é uma coisa pobre. Com a maior torcida do país e dirigido por empresários, o Fla só pode ser muito forte.

PASSADO, PRESENTE

O ex-presidente Márcio Braga sempre foi um homem de frases brilhantes e teve fases excelentes no Flamengo. Um pouco como Francisco Horta no Flu, ele fazia marketing de si próprio e do clube com inúmeros títulos. Essa semana saiu-se com uma frase popular valorizando os títulos e deixando as contas em segundo plano. Talvez em sua época isso ainda fosse possível, com terríveis consequências. Hoje só vale como piada porque, sem profissionalismo, não há mais títulos.

TEMPOS DIFÍCEIS

O Botafogo tem hoje uma pesada reunião do Conselho Deliberativo em que o mínimo que espera é a ausência de agressões físicas.Mas há certeza de muitas acusações e de lavagem de roupa suja em um clube que não passa muito tempo sem crise. Mas, com certeza, o pior ocorreu nos anos 80 quando o futebol ficou mais de 20 anos sem título - não havia jogador, nem sócio ou sequer sede ou estádio. Só houve saída com apoio dos deuses e de abnegados de prestígio.

Problema financeiro do Botafogo continua graveAndré Luiz Mello / Agência O Dia

VÔLEI EMPOLGANTE

A seleção feminina de vôlei se prepara para a segunda fase do Grand Prix com uma expectativa mais alta do que se poderia esperar no começo. Apesar da acomodação contra a República Dominicana, o Brasil foi muito bem contra Itália e China e está agora com boas possibilidades contra seleções até mais fortes como Coreia do Sul, Rússia e Estados Unidos. Com o time já assentado com Thaisa, Sheilla, Dani Lins, Fe Garay, Fabiana, Jaqueline e Camila, tudo pronto para o título.

O BASQUETE ESTÁ PRONTO PARA LEMBRAR O PASSADO

Não que o atual time de Rubén Magnano possa atingir um nível excepcional mas comparando com os tempos recentes, é uma redescoberta. Agora unido, com o pessoal da NBA, vemos uma seleção renovada, tecnicamente boa que pode enfrentar os times mais poderosos, quase de igual para igual.Pode-se até esperar algum título ou, quem sabe, um pódio olímpico, o que já seria emocionante.

Você pode gostar