'Jogador tem que chegar à Seleção pronto', afirma Dunga após convocação

Treinador destacou que atletas precisam mostrar comprometimento na hora de vestir a amarelinha

Por O Dia

Rio - Dunga fez a convocação da seleção brasileira nesta terça-feira, na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Dez jogadores que foram à Copa do Mundo foram mantidos na lista. A renovação foi moderada. Na entrevista coletiva após a divulgação dos nomes, o técnico garantiu que as portas da Seleção continuarão abertas para os jogadores que não foram convocados e, bem ao seu estilo, mandou um recado: o atleta que não chegar para defender o Brasil preparado será deixado para trás.

LEIA MAIS: Com novidades e dez jogadores, Dunga convoca a seleção brasileira

"O leque da Seleção abriu um pouco mais, os jogadores que estiveram na Copa e não estão na lista continuam com a porta aberta. E os que estão na lista também não estão seguros. Montamos o time pensando numa estrutura para os jogadores que estão chegando agora. Não precisava refazer tudo do zero. Não é porque teve um resultado negativo que tudo está errado. Esses atletas jogam em clubes importantes da Europa. Fomos mesclando cada setor pra ver cada jogador que iria se aptar a este momento. Trouxemos outros jogadores para fazer outra análise. Alguns tiveram na Seleção e não tiveram tanta oportunidade. Mas ainda é cedo pra definir o grupo, temos de experimentar neste momento. O principal é que o jogador deve pensar que não terá muitas oportunidades, muitas vezes vai entrar em campo por 45 minutos e terá de mostrar seu potencial. O jogador tem de estar preparado para quando a chance aparecer. Tem de vir para Seleção pronto para chegar no gramado e dar sua contribuição.

Dunga voltou para Seleção mandando recado para os jogadoresAndré Mourão

O novo comandante da seleção brasileira também falou que tentará fazer uma renovação na equipe, mas vai priorizar o desempenho dentro de campo. A tentativa será mesclar novos valores com atletas mais experientes.

LEIA MAIS: Ricardo Goulart vibra com primeira chance na Seleção: 'Sonho de infância'

"A análise do treinador é pelo desempenho em campo, independentemente da idade. O ideal é a mescla entre jovens e mais experientes. Se fosse por exclusão de jogadores experientes, a Alemnaha não teria trazido o Klose. A questão é do momento, do rendimento. Não tem como penalizar um ou outro pela questão da idade", afirmou.

Os primeiros desafios de Dunga no comando da seleção brasileira serão os jogos diante de Colômbia e Equador, no Estados Unidos, nos dias 5 e 9 de setembro.

Confira a entrevista coletiva na íntegra: 

Experiência no exterior

Eu assisti a muitos jogos da Copa, na Europa. O jogo é em uma marcação muito fechada. Eles marcam e criam espaço para fazer o contra-ataque. Você deve criar um espaço para contra-atacar o adversário. Por isso o time deve defender e atacar. E precisa ter a aceleração. Por isso temos de ter o elemento supresa, penetração de um lateral, volante.

50 jogos até a Copa do Mundo

Não é possível falar se é suficiente. O que temos de fazer é tentar aproveitar da melhor maneira as data que temos à disposição. Por isso que eu falei que cada jogador tem de vir focado. Tem de demonstrar para os brasileiros que merece estar na Seleção. O que não pode é o atleta vir e dizer que as oportunidades são poucas, que não sabia o que ia acontecer. O futebol se decide no campo. No entanto, antes de chegar lá tem de se preparar emocionalmente, tecnicamente, mentalmente. É preciso estudar o adversário. E quando chegar à Seleção tem de estar pronto.

Jogadores que não vestiram a camisa da Seleção

O Everton Ribeiro foi convocado pela qualidade e pelo drible. No futebol com a marcação forte, sem espaços, é importante o jogador que tenha o drible como ponto forte. O Goulart joga no meio, mas é agressivo, muito competitivo, que entra muito na área como surpresa e conclui muito bem. O Gil teve uma passagem pela Europa e se firmou no Corinthians e está tendo uma temporada muito boa. Tem uma postura na defesa que os jogadores respeitam, porque ele sabe se impor e comandar a zaga.

Observações para Eliminatórias

O trabalho é em conjunto. O foco é a Eliminatória, é uma pré-Copa. O foco maior é a seleção principal. Mas lógico que teremos um trabalho paralelo para Olimpíada.

Evolução do Neymar

Seguramente, ele pegou gosto pelo gol. É muito mais eficiente. Procura o gol a cada jogada, cada lance. Mais forte emocionalmente, fisicamente, mentalmente. Os jogos internacionais serviram para isso. Está mais maduro. E quer crescer ainda mais no futebol.

Jogo contra Colômbia

Acho que o Brasil tem de formar uma seleção competitiva, aproveitar nossa qualidade técnica. Os jogadores tem de estar focados, determinados. Vamos encarar uma Seleção que foi bem na Copa, com atletas bons, fortes fisicamente e bem postados em campo. Mas nos temos capacidade com nosso talento, nossos jogadores, de jogar para vencer. É difícil, mas temos condições de buscar o resultado. Cada minuto será importante. A nossa Copa do Mundo começa no duelo diante da Colômbia, mesmo sendo amistoso, temos que jogar como um Mundial.

Jogar com centroavante ou não

Temos de refazer nosso pensamento, atacante é o cara que chega à frente para fazer o gol. Independe se ele é o 9, 3 ou 5. Temos vários jogadores para fazer essa função. Podemos jogar com um fixo na frente ou não. Temos jogadores para fazer todas funções.

Vencer ou jogar bem

A coisa principal é passar para o torcedor que estamos trabalhando, nos empenhando da melhor maneira, passar uma energia positiva e somar a isso um bom resultado e uma atuação para o torcedor voltar a gostar da Seleção. Pela qualidade dos nossos jogadores temos capacidade para fazer isso.

Futebol brasileiro

O Campeonato Brasileiro é um dos mais difíceis de se jogar, pelas equipes e pelas distâncias. Nos últimos anos, o Brasil teve uma supremacia grande na Libertadores. Acredito sempre no Brasil, que terá bons jogadores.

Neymar

Temos que aproveitar o Neymar como referência para a Seleção e para os jovens que estão surgindo, para que ele possa dar os dribles e também trabalhar com responsabilidade

Reconstrução

Nós, por natureza, somos competitivos, e temos de tentar buscar qualidade com os resultados, mas não podemos colocar (o trabalho) a todo instante como terra arrasada. Na última semifinal da Champions League, o Brasil tinha uma média de 10 jogadores. Temos esta qualidade

Conversa com técnicos brasileiros

Nós falamos com alguns técnicos e tivemos a sensibilidade de convocar dois jogadores de cada equipe. Todo treinador tem a liberdade de pensar e agir como entende, mas a prioridade tem de ser a seleção brasileira. Todo jogador sonha com a Seleção

Base na Seleção

Na primeira vez que estive na Seleção, uma boa base era de jogadores brasileiros. Mas estamos convocando estes jogadores pela qualidade deles. Vamos priorizar sempre a parte da qualidade, da competitividade e do desempenho

Últimas de Esporte