Por victor.abreu

Itália - O alemão Nico Rosberg, da Mercedes, tenta neste fim de semana, em que será disputado o Grande Prêmio da Itália de Fórmula 1, pelo menos manter a confortável - e polêmica - vantagem sobre o companheiro, o britânico Lewis Hamilton, antes do início da parte final da temporada 2014.

Notícias, treinos e provas: confira o mundo da Fórmula 1

Nico Rosberg é o líder do Mundial de PilotosEfe

Com o segundo lugar no GP da Bélgica, o líder do Campeonato Mundial de Pilotos chegou aos 220 pontos, abrindo 90 para o principal concorrente. Para o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, a distância é ainda mais longa, de 64 pontos.

A prova é a última da chamada "temporada europeia" - apesar de ainda haver o Grande Prêmio da Rússia a ser disputado. O período, na verdade, compreende os mais tradicionais GPs da modalidade, a maioria no Velho Continente. Depois da Itália, a Fórmula 1 também irá para Cingapura, Japão, Estados Unidos, Brasil e Emirados Árabes.

A matemática do campeonato, contudo, deixou de ser assunto principal na modalidade, graças ao toque entre Rosberg e Hamilton em Spa-Francorchamps na segunda volta da corrida. A colisão resultou em pneu furado para o britânico, que pouco depois abandonou a disputa. Depois de longa discussão, o alemão admitiu culpa no incidente.

"Durante a reunião, Rosberg assumiu a responsabilidade do toque no carro de Lewis Hamilton, ocorrido durante a segunda volta do GP da Bélgica, e pediu desculpa pelo seu erro", garantiu em comunicado a Mercedes.

A escuderia ainda divulgou que "puniu disciplinarmente" o líder do Mundial, mas não revelou como. Segundo a imprensa inglesa, Rosberg foi multado, em valor que o "Daily Mirror" diz ter atingido os seis dígitos.
Além disso, fez uma ameaça aos dois pilotos, que já está valendo para o Grande Prêmio da Itália.

"Lewis e Nico entendem e aceitam a regra número 1 da equipe: não deve haver contato entre os dois carros durante a corrida. Para ambos ficou claro que um novo incidente não será tolerado", aponta o time alemão.

De olho nas disputas entre os ponteiros da classificação está Ricciardo, que venceu na Bélgica o terceiro GP na temporada - o segundo consecutivo. O desempenho do companheiro do tetracampeão mundial, o alemão Sebastian Vettel, fez Rosberg dizer que o australiano segue vivo na luta pelo título.
Bem mais atrás na tabela, Felipe Massa tentará reduzir a imensa desvantagem que tem para o companheiro de Williams, o australiano Valteri Bottas, a principal revelação da temporada. O brasileiro, que foi 13º na Bélgica, tem apenas 40 pontos, contra 110 do nórdico.

A "goleada" é a segunda maior entre as grandes equipes, pois na Ferrari o espanhol Fernando Alonso tem 121 pontos, enquanto o também finlandês Kimi Raikkonen está com 39.
Na Itália, onde era bastante admirado pelos tempos em que pilotava a Ferrari, Massa vai atrás do primeiro pódio da temporada.

No grid de largada, outra vez a Caterham vai promover mudanças, com o alemão André Lotterer dando lugar ao japonês Kamui Kobayashi, que disputou as 11 primeiras provas da temporada pela equipe. Os dirigentes até tentaram a liberação de um de seus pilotos de teste, o espanhol Roberto Merhi, mas a FIA não concedeu autorização.

O Grande Prêmio da Itália terá largada no domingo às 9h (horário de Brasília). Um dia antes, no mesmo horário, acontecerá o treino de classificação. A primeira atividade acontecerá nesta quinta-feira, às 5h, com treino livre.

Você pode gostar