Grêmio estuda usar postagens racistas de auditor do STJD para anular punição

Ricardo Graiche compartilhou imagens de cunho racista na sua conta do Facebook, em 2012

Por O Dia

Porto Alegre - Mesmo com o tom conciliador do presidente Fábo Koff, após o julgamento que excluiu o Grêmio da Copa do Brasil, o Tricolor pode brigar por sua vaga na Justiça. Em uma nota oficial assinada pelo diretor jurídico, Thiago Brunetto, os Gaúchos comparam a 'generalização' do caso com as postagens racistas do auditor, Ricardo Graiche, no Facebook, em 2012.

Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Brasileiro

"O ato lamentável de três ou quatro torcedores num universo de 40 mil pessoas que estavam no estádio e de uma torcida de oito ou nove milhões, não significa que todos os torcedores ou que a instituição sejam racistas. Pelo mesmo motivo, não autorizam que se diga que todo o STJD seja racista", destacou Brunetto, na nota oficial.

No sábado, o Grêmio fará o seu primeiro jogo após ser excluído da Copa do Brasil. O Tricolor enfrenta o Flamengo, no Maracanã, pelo Brasileirão. Brunetto está preocupado com os possíveis protestos contra os gremistas no Rio de Janeiro.

"A exclusão do Grêmio da Copa do Brasil, pena inédita e, em razão das circunstâncias do caso, draconiana, está expondo os nossos torcedores a inaceitáveis ameaças, inclusive para a partida de amanhã no Rio de Janeiro. Não concordamos com isso", concluiu Brunetto.

Últimas de Esporte