Torcedora que ofendeu Aranha chora e pede perdão: 'Não sou racista'

Patrícia Moreira deseja encontrar o goleiro pessoalmente para se desculpar

Por O Dia

Porto Alegre - Após depoimento à polícia na quinta-feira, a torcedora gremista que foi flagrada por câmeras da "ESPN", ofendendo racialmente o goleiro Santista Aranha, na partida contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, falou à imprensa pela primeira vez nesta sexta-feira. Arrependida, Patrícia Moreira não respondeu a nenhuma pergunta, apenas pediu desculpas pelo ato e saiu antes do pronunciamento do advogado Alexandre Rossato.

Patricia chorou e pediu desculpas Reprodução/ RBS TV

"Boa tarde, eu quero pedir desculpas para o goleiro Aranha, desculpa mesmo, perdão de coração. Não sou racista. Aquela palavra macaco não foi racismo da minha parte. Não teve intenção racista. Foi no calor do jogo, o Grêmio tava perdendo. O Grêmio é minha paixão. Minha paixão mesmo. Eu vivi sempre indo ao jogo do Grêmio. Sempre. Largava tudo pra ir no jogo do Grêmio. Peço desculpas pro Grêmio, pra nação tricolor, não queria nunca prejudicar o Grêmio. Eu amo o grêmio. Desculpas para o Aranha. Perdão, perdão, perdão mesmo", afirmou a menina.

O advogado da jovem ressaltou que a menina já está sendo julgada pela sociedade e falou do pedido de Patrícia em encontrar o goleiro Santista para se desculpar pessoalmente.

"Sem dúvida, a Patrícia já foi julgada socialmente. Independente de inquérito policial, de indiciamento ou não. Infelizmente, ela já está julgada. Ela deseja muito esse encontro com ele. Ela quer pedir desculpa", defende o advogado.

Rossato, destacou que a jovem vem sofrendo ameaças desde o episódio e relata que a palavra 'macaco' não foi uma ofensa racista e sim um xingamento comum de jogo.

"A Patrícia vai provar que a exposição dela não foi racista de forma verdadeira. Macaco, no contexto dentro do jogo de futebol, não se tornou racista. Ainda mais com a intenção que ela teve. Ela (a expressão) se torna um xingamento dentro do futebol. Estaríamos sendo hipócritas se punirmos a Patrícia, tão somente ela, por esse ato", finalizou Alexandre.

Últimas de Esporte