Por bernardo.argento

Rio - A torcida do Fluminense, evidentemente, não saiu satisfeita do Maracanã porque via no jogo deste domingo uma ótima oportunidade de vitória contra o líder muito desfalcado. Mas, como se esperava, o elenco estrelado segurou bem a barra e, apesar dos erros defensivos, foi sempre perigoso no ataque. Foi um jogo aberto, bem disputado, com grande movimentação e o Flu foi mais constante nas conclusões, obrigando Fábio a aparecer mais do que Kléver.

Seis gols deixaram o clássico tenso, com viradas e reviradas, e as defesas estiveram mal — o Flu continua com uma zaga vulnerável. Cícero contribuiu para perturbá-la fazendo um pênalti desnecessário e escandaloso. O gol do empate de 3 a 3 surgiu no finzinho e foi oportuno porque seria injustiça uma derrota tricolor. Dessa vez, Cristóvão não pode ser criticado porque o garoto Kenedy entrou para marcar o gol salvador. O resultado foi melhor para o Cruzeiro, que continua muito distante da concorrência na tabela.

Tudo contra

O Botafogo já não tem um bom elenco e, com tantos problemas que enfrentou ontem, foi até razoável perder só por 1 a0 para o Galo. Os desfalques de Jefferson, Edilson, Airton e Daniel pesaram, a expulsão de Dankler mais ainda, e com um ataque muito fraco ficou praticamente impossível um bom resultado. O Botafogo resistiu, lutou muito, atuou com dignidade e não podia fazer milagres. Apesar da pontuação ruim no turno, é possível um segundo turno um pouco melhor.

Estilo Joel

Joel ainda não fez a sua estr</MC>eia no comando do Vasco, mas já parece estar mandando os seus fluidos. O time mostrou confiança e determinação em relação aos últimos jogos e não chegou a desmoronar ao tomar o primeiro gol de saída, fora de casa. A própria escalação contra o América-MG já lembrava o treinador, com muitos volantes, mas, de qualquer forma, alinhando os melhores e mais fortes no ataque. Foi uma vitória importante para dar moral e começar fase melhor.

Um gol cruel

O Maracanã viveu uma grande noite sábado com a presença maciça da torcida do Fla, que não parou de incentivar. Os méritos técnicos no jogo foram escassos, mas isso não chegou a estragar o espetáculo porque houve empenho de todos e algumas chances de gol. O empate com gols seria o mais justo. No entanto, bela jogada de Luan, no finzinho, decretou a derrota do Flamengo e devolveu um pouco o time à vida real, que traz claras limitações na campanha.

Elogios

Não deixa de ser curiosa a troca de elogios entre Dunga e Neymar na seleção brasileira. O treinador sempre foi muito criticado por não ter levado o grande craque em ascensão na Copa do Mundo de 2010, mas dificilmente ele conseguiria emplacar na Seleção naquela época. E Neymar fez questão de dizer agora que Dunga trouxe ao grupo disciplina e motivação. Mas, como, se essas eram exatamente as maiores qualidades de Felipão? Então, faltou isso na Copa?

Vôlei encerra a fase inicial acenando com o título

Nos dois últimos jogos, a seleção de vôlei, já classificada, relaxou tanto que ganhou apertado dos coreanos por 3 a 2 e, ontem, fez um fraco primeiro set para depois acordar e vencer Cuba com relativa facilidade. Mas, no rescaldo de todos os jogos, o saldo foi muito positivo porque todo o grupo foi utilizado e Bernardinho tem razão ao dizer que o time não tem apenas seis titulares. Além disso, Bruno voltou bem ontem, já recuperado de lesão. O Brasil ainda pode melhorar muito, mas deixa esperança em relação ao título mundial.

Você pode gostar