Ribéry ignora Platini e diz que fez pacto com Deschamps para deixar a França

Jogador revela que teria feito um acordo com o treinador da seleção para se concentrar apenas no Bayern de Munique

Por O Dia

Alemanha - Franck Ribéry está mesmo decidido a não jogar mais pela seleção francesa. O craque já havia revelado que não gostaria mais de vestir a camisa dos Blues, o que revoltou Michel Platini, presidente da Uefa e ex-jogador, que disse que poderia punir o atleta do Bayern de Munique. Em entrevista ao jornal alemão "Die Welt", o meia garantiu que fez um pacto com o treinador da França, Didier Deschamps, para atuar só pelo time da Alemanha.

Michel Platini diz que Frank Ribéry pode ser suspenso caso não defenda seleção

Ribery quer deixar sua vaga para jogadores mais jovensReuters

Rummenigge rebate Platini e diz que Ribéry deixou seleção corretamente

"Cheguei a um acordo com o técnico Didier Deschamps e no futuro quero concentrar-me no meu trabalho no Bayern de Munique", disse o jogador de 31 anos.

Ribéry, no entanto, preferiu não dar uma resposta direta a Platini e nem criticou o dirigente, que o ameaçou suspender de três jogos caso não se apresente a seleção da França se for convocado pro Deschamps. Diretor geral do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge, defendeu o jogador. 

Deschamps cita Zidane ao dizer que é possível Ribéry voltar jogar pela França

O craque francês foi cortado da convocação final da França para a Copa do Mundo do Brasil por causa de um sério problema nas costas. Ele jogou o Mundial de 2006, na Alemanha, quando foi vice-campeão, e esteve presente no fiasco em 2010, na África do Sul, quando os Blues não passaram da fase de grupos. 

Últimas de Esporte