Por fabio.klotz

Rio - À sombra dos pesos-pesados Antônio Pezão e Andrei Arlovski, evento principal deste sábado do UFC Brasília, a partir das 19h, está um potiguar acostumado a pulverizar marcas. E Gleison Tibau, 31 anos, quer muito mais. Contra o polonês Piotr Hallmann, o peso-leve completará o 23º combate pelo evento e se juntará a Frank Mir e Josh Koscheck como o lutador em atividade com mais lutas na história do UFC. Além disso, ele pretende passar o recordista Tito Ortiz (27) já em 2015.

Gleison Tibau mira marco no UFCAlexandre Loureiro / Inovafoto / Divulgação

“Sou realizado. Saí de Tibau, cidadezinha pequena, passei fome e hoje tenho meu nome gravado na história”, diz Gleison.

“Sou o brasileiro que mais lutou na organização, daqui a pouco serei o lutador com mais combates no evento. Isso é ótimo”, completa.

A 40ª luta da carreira também é um marco: “É um número que poucos alcançam. Quero fazer 40, 50, 100 lutas, se possível (risos).” Haja vigor!

Nocaute em Brasília

Brasiliense de nascimento e paraibano de coração, Antônio Pezão parece criança ao analisar o combate em casa. Promessa de nocaute sobre Andrei Arlovski: “Vou dar show. Esta luta não vai para a mão dos juízes.”

Ganha o show

Confiante, o peso-leve Léo Santos viu vantagem na troca de rival no UFC Brasília: “O Efrain Escudero é conhecido e a luta ganhou em importância.”

Ronda visita a Rocinha

Campeã peso-galo do UFC, Ronda Rousey recebe na terça-feira a homenagem de crianças do polo da Rocinha do Instituto Reação. A musa ainda se juntará a Rafaela Silva num seminário de judô para atletas do projeto social.

Você pode gostar