Ross Brawn não descarta um retorno e afirma: 'Ferrari? Nunca diga nunca'

Britânico trabalhou por mais de dez anos na equipe italiana

Por victor.abreu

Alemanha - A Ferrari está ensaiando uma verdadeira revolução para voltar aos bons tempos na Fórmula 1. Desde o anúncio da saída do presidente Luca di Montezemolo, os membros da escuderia italiana estão em constantes reuniões para debater o futuro da equipe. Uma das novidades pode ser o retorno de Ross Brawn, ex-diretor-técnico. O inglês respondeu às especulações com 'mistério'.

Notícias, treinos e provas: confira o mundo da Fórmula 1

Ross Brawm pode retornar à FerrariDivulgação

"Nunca diga nunca, porque você não pode prever que oportunidades podem surgir. Estou envolvido em projetos fora do esporte pelos quais nunca tive tempo. Não estou desesperado para voltar a ter um trabalho em tempo integral, por isso deixo as coisas virem até mim", disse o engenheiro britânico à revista alemã 'Auto Motor und Sport'.

Mesmo com o tom enigmático, Brawn fez questão de deixar claro que não está 'cavando' nenhuma vaga na escuderia italiana.

"Não estou cogitando um cargo na Ferrari ou em qualquer outro lugar. Não estou em contato com a Ferrari nem procuro de forma constante um regresso a F1".

Quem ficou animado com o possível retorno de Brawn, foi o diretor-esportivo da Ferrari, Marco Mattiacci.

"Ross Brawn é um ícone em Maranello. Todos gostariam que Ross regressasse à Ferrari", disse o dirigente

Ross Brawn começou na Fórmula 1 como mecânico da Williams, em 1976. Na Ferrari, o britânico chegou em 96, para assumir o cargo de diretor-técnico, onde ficou por dez anos. Em 2009, ele foi proprietário de sua própria equipe, a Brawn GP, tendo conquistado o título do Mundial de Pilotos e de Construtores naquele ano.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia