Liga dos Campeões é um exemplo de 7 a 1 europeu contra o futebol brasileiro

Fase de grupos da prestigiada disputa de clubes europeus começa com craques, grande premiação e fair play financeiro

Por O Dia

Rio - Começa nesta terça-feira a fase de grupos da Liga dos Campeões. Mais prestigiada disputa de clubes em todo o planeta, a competição é mais um exemplo que explica a derrota da seleção brasileira por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo 2014. Explica, no caso, por que o futebol europeu está tão à frente do nosso atualmente.

Até o dia 6 de junho de 2015, Cristiano Ronaldo, Lionel Messi, Neymar e outros dos maiores craques mundiais irão desfilar seus talentos pelos gramados da Europa. À distância, o iG Esporte mostra a razão de clubes, dirigentes e torcedores no Brasil estarem tomando mais uma goleada:

Barcelona: Iniesta está avaliado em € 45 milhões; Neymar, em €70 milhões; Lionel Messi, o mais caro do mundo, € 120 milhões; e Luis Suárez, € 60 milhões.Efe

Futebol europeu 1 x 0 Brasil – Fator Diego Costa

Ficou evidente na Copa do Mundo a falta que a seleção brasileira sentiu de um camisa 9 de peso, alguém para chamar a responsabilidade ao lado de Neymar. Diego Costa poderia ser esse cara, mas nunca esteve nos planos principais de Luiz Felipe Scolari e acabou se naturalizando espanhol. Hoje defendendo o Chelsea, abriu a temporada marcando sete gols em quatro jogos. Mas, lembre-se, não pode ser convocado por Dunga. Além disso, com exceção ao Neymar no Barcelona e Thiago Silva no Paris Saint-Germain, os brasileiros não são protagonistas em seus times. Gol da Alemanha!

Futebol europeu 2 x 0 Brasil - Premiação

Os valores distribuídos por CBF e Conmebol para os campeões do Brasileirão e da Libertadores chega a ser considerado ridículo se comparados ao que a Uefa paga a quem faturar a Champions. Na última temporada, o Real Madrid embolsou nada menos do que € 53,4 milhões (cerca de R$ 110 mi) entre premiação e direitos de TV. Só para ter a ideia, o San Lorenzo, atual campeão da Libertadores, ficou com R$ 13 milhões.

Futebol europeu 3 x 0 Brasil - Público

Principal competição europeia, os estádios estão sempre cheios. Atual campeão, o Real Madrid teve média de 71.575 torcedores nos seis jogos que disputou em casa. O recordista foi o Barcelona, com 77.930. Apenas duas equipes (CSKA Moscou e Victoria Plzen) registraram média inferior à do Brasileirão 2014, que é de 15.475

Futebol europeu 4 x 0 Brasil – Custo-benefício

Aqui a relação é entre preço do ingresso e qualidade do espetáculo. O São Paulo fez uma promoção e baixou os valores para a importante partida do último domingo contra o Cruzeiro. Ótimo! Só que Corinthians, Flamengo e tantos outros abusam do bolso do torcedor. Em Itaquera, entradas para o duelo com a Chapecoense vão de R$ 50 a R$ 250 (e nem estamos falando de setor VIP). Na Champions, o mais barato para o confronto entre Barcelona e Paris Saint’Germain sai por € 59 (R$ 180). Mas terá Neymar, Messi e Ibrahimovic!

Futebol europeu 5 x 0 Brasil – Fair play financeiro

Na Europa, clube que não esta com as contas em dia não joga. Simples assim. Nesta temporada, o sérvio Estrela Vermelha foi proibido de participar da Champions por violar esse fair play, um controle sobre as receitas e despesas dos clubes. Por este motivo, o PSG não pôde inscrever o jovem Rabiot. No Brasil, por outro lado, sobram notícias de salários atrasados e clubes endividados.

Futebol europeu 6 x 0 Brasil – Técnicos novos em evidência

Técnicos novos em evidência: Diego Simeone, Jürgen Klopp, José Mourinho, Pep Guardiola... A Europa ficou recheadas de caras novas nos bancos de reservas ao longo dos últimos dez anos e que hoje são reconhecidos entre os melhores treinadores do mundo. No Brasil, até se tenta, mas não há a cultura de renovação. Basta ver que São Paulo, Inter, Grêmio e Flamengo são comandados pelos mesmos nomes de 19 anos atrás. E o Vasco, na crise, apelou para Joel Santana.

Futebol europeu 7 x 0 Brasil – Disciplina

Você nunca verá em uma partida de Champions policiais tendo que fazer uma barreira com escudos para proteger um jogador na hora de cobrar escanteio. Lá já houve muitos problemas com hooligans, é verdade, mas isso faz parte de um passado que não ameaça mais quem está nas arquibancadas. Tanto para o público que vai aos estádios quanto para os atletas, assistir a uma partida de futebol na Europa é muito mais seguro do que no Brasil.

Futebol europeu 7 x 1 Brasil – Estádios modernos

O grande legado da Copa do Mundo no Brasil foram os estádios. É inegável que as novas arenas provocaram um público no Brasileirão. A média saltou de 12.504 para 15.475. E na Europa nem todos os clubes têm estádios modernos “padrão Fifa”, caso do Atlético de Madri. Tanto que os arquirrivais Barcelona e Real Madrid têm projetos ambiciosos de erguerem suas novas arenas. O Brasil desconta nos acréscimos!

Reportagem: Pedro Taveira

Últimas de Esporte