O diferenciado Marcel no Pinheiros

Referência no basquete, ele volta ao posto de técnico e vai ser uma das atrações do NBB com 'interpretação diferente do jogo'

Por O Dia

São Paulo - Uma das principais novidades do NBB 7 estará no banco. Referência no esporte, Marcel está à frente do Pinheiros e volta ao posto de técnico quatro anos depois do último trabalho, no Barueri. É um retorno cercado de expectativa, sobretudo pelas ideias e filosofia do ex-jogador.

Com uma interpretação diferente do jogo%2C Marcel retorna ao posto de técnico João Pires / Divulgação

"O basquete larga da gente, mas a gente não larga do basquete. Acompanhei jogos e dei clínicas. Isso me manteve no jogo", brinca Marcel, que acrescenta:

"Não tenho fórmula mágica, jogada fantástica. Eu tenho uma interpretação diferente do jogo. O trabalho é convencer que isso realmente funciona e tem futuro."

Uma das práticas de Marcel é o treino "calado": "Foi o melhor que fizemos até agora, que mais se aproximou da realidade. É um treino que ninguém fala, só ouve a bola. Isso causa espanto, mas a comunicação também acontece sem falar."

O técnico analisa o começo de trabalho no Pinheiros e leva fé na qualidade do time.

"É uma equipe de grande potencial, que tem muito a melhorar, aumentar a sincronia dos jogadores, o que eles observam e melhorar ainda mais a defesa."

Marcel orienta o Pinheiros%3A técnico elogia a qualidade do clube paulista João Pires / Divulgação

Marcel está à vontade no Pinheiros. O ambiente do clube o favorece. No clube paulista, também tem contato com a base, cada vez mais em evidência após revelar atletas como Bruno Caboclo, agora no Toronto Raptors, Lucas Dias e Humberto.

"O Pinheiros sempre foi tradicional em revelar, teve o Guilherme Giovannoni e um monte de gente que foi revelada aqui. Os jogadores da base vêm assistir ao treino, tem contato direto e intercâmbio. Vamos ver os jogos da categoria de base. Isso acontece entre os esportes, vôlei, handebol, natação. Aqui é um ambiente olímpico", diz Marcel, que detalha o trabalho com jovens:

"A característica de jogadores do juvenil que estão se firmando é variar muito atuações excepcionais com outras nem tanto. Então é trabalhar para diminuir esta curva e se aproximar do nível ideal."

Que venha o NBB

Das arquibancadas, Marcel acompanhou de perto o NBB. Agora, vai participar do principal campeonato do país. Ele elogia o nível da competição.

"É um campeonato muito difícil. Saiu uma pré-tabela para os times. Dois oito primeiros jogos, seis serão fora de casa. Precisa estar muito preparado. Vai ser difícil jogar com os melhores times do Brasil. O campeonato em si vem melhorando muito. Aqui no Pinheiros temos todas as condições. Eu queria que o esporte brasileiro fosse no Pinheiros", encerra.

Últimas de Esporte