Vasco em um momento perigoso

Rodada decisiva com duplo desafio para o instável Cruzmaltino

Por O Dia

Rio - A Série B do Brasileiro tem uma rodada decisiva e que começa nesta sexta-feira com um duplo desafio para o instável Vasco: fazer boa partida em São Januário, o que não tem sido tão comum como se esperava, e derrotar o líder Joinville - com ótima campanha e que, se vencer, colocará frente de seis pontos. É difícil fazer uma análise conclusiva do que se passa com o Vasco. O clube vive crise política e econômica longa, mas isso não justificaria tantos problemas no futebol e média apenas sofrível de atuações.

Kleber Gladiador é um alento para o VascoDivulgação

Há vários jogadores de bom nível, como Martín Silva, Rodrigo, Guiñazu, Pedro Ken, Maxi Rodríguez, Douglas, Kleber e até boas promessas como Thalles e Edmílson, mas o time continua meio travado. Não será jogo fácil porque, nesse tipo de confronto, a pressão será toda em cima do Vasco e o Joinville vai atuar com forte sistema defensivo e em contra-ataques velozes.

Essa rodada é especial porque há outros dois jogos que envolvem os primeiros colocados: Ponte Preta x Ceará, em Campinas, e o surpreendente Boa, sexto colocado, enfrentando o Avaí. Com apenas seis pontos separando o primeiro do sexto colocado todas as posições poderão mudar na reta final da Segundona, o que promete desfecho eletrizante porque há seis candidatos para quatro vagas.O Vasco não pode cochilar.

A desunião

Parece não haver mais dúvida de que há certa divisão no Fluminense e insatisfação de alguns jogadores em relação a Cristóvão Borges. Fred anda repetindo que falta velocidade ao time, diz que sofre com isso e insinua dificuldades na preparação física. É uma meia verdade, mas há também restrições de alguns jogadores ao técnico. Sobis anda cuspindo marimbondos por não ser mais titular absoluto. Se o Flu continuar assim, com atuações fraquinhas, adeus G-4.

Assim não dá

Quem gosta do futebol bonito, de jogadas clássicas e de belos lançamentos tem falado muito de Ganso e de como seria bom revê-lo na Seleção. Mas o Ganso que se viu no Morumbi contra o Fla não teve nada disso. O que estava ali era um jogador lento, preguiçoso, perplexo com a marcação forte e que não procurou saídas. Dunga tem razão ao dizer que, desse jeito, suas chances são nulas - não mantém um padrão. Já Kaká, mesmo sem brilho, tem sido mais útil e participativo.

Hora de aplaudir

O Fla reclama com razão de arbitragem muito ruim no Morumbi, mas que não influiu no marcador, pois o pênalti que definitivamente não existiu foi desperdiçado. E o São Paulo ainda teve um jogador expulso. Os árbitros erram e acertam para todos os lados e o Fla não é a maior vítima. Importante foi a atuação muito boa do time, com sistema defensivo excepcional, garra e velocidade. Uma vitória tática de Vanderlei. O Fla merecia vencer, mas o empate foi bom resultado.

Desinformação e farsa no comando da arbitragem

Estava mais ou menos na cara que aquela história de determinação da Fifa para considerar pênalti qualquer toque com a mão na área era furada. A CBF passou a informação errada, atribuindo a mudança a um representante da entidade, e agora foi tudo desmentido e ironizado. Jogadores têm membros superiores e não podem se livrar deles, que são usados para equilíbrio e movimento. Mas como a arbitragem brasileira convive com absurdos há um mínimo de coerência.

Prazer anual

O Festival Internacional de Cinema tem sido um grande evento a cada setembro e dado ao Rio ares de capital mundial da sétima arte. Nesta quinta-feira tivemos obras de Richard Linklater, Cronenberg, Zhang Yimou e Patrice Leconte como aperitivo. Serão centenas de filmes para desafiar o físico do cinéfilo. Os que têm legenda eletrônica em português podem não ganhar exibição comercial. Além do festival, estreia outro filme intenso com Denzel Washington - "O defensor", de Antoine Fuqua.

Últimas de Esporte