Por fabio.klotz

Rio - Se fosse uma brincadeira de mau gosto na Internet (paraíso do gênero), o Botafogo estaria se encaminhando espontaneamente para ser degolado por um desses terroristas psicopatas que se dizem representantes do islamismo. Faz certinho o dever de casa para ser detonado: crise econômica sem solução, muitos jogadores de aluguel, contratados de péssimo nível, incompetência do comando do futebol e um treinador boa gente, mas que não joga com a necessária cautela.

Botafogo sofre dentro e fora de campoErnesto Carriço

Na política, um tumulto louco - o clube tem quatro candidatos à presidência (por que tanto interesse?) e nenhum presidente atuante, já que Maurício Assumpção, certamente constrangido com o fiasco, não assumiu nada e sumiu de forma melancólica e comprometedora. Se, com tudo isso,o time ainda se segurar na Série A, terá que agradecer aos céus e à mediocridade dos rivais. Mas, se cair, como tudo parece indicar, a casa pega fogo e, então, será um salve-se quem puder. O clube perde aos poucos a sua força política e o nível de competitividade, uma tristeza para o abalado futebol brasileiro.

Todas as honras

O Flamengo ganhou com muitos méritos o título intercontinental de basquete, embora a competição não signifique que o time é o melhor do mundo, já que não podemos esquecer das equipes da NBA. Mas o Fla honra o basquete brasileiro, é o único dos grandes do Rio que dá força ao esporte e essa bela fase coincide com a recuperação da Seleção. Para o torcedor, importa a curtição de que o Flamengo é o único do Brasil com títulos mundiais no futebol e no basquete.

Sem receios

Alguns torcedores do Flamengo já estão temerosos em relação à atual fase do time depois de empates e da derrota para o Bahia. Mas isso não sinaliza que a equipe entrou em parafuso. Apenas que o Brasileiro é uma montanha-russa e ninguém mantém estabilidade. Ainda bem que o time já vinha de bela sequência de vitórias que o afastou da lanterna. Hoje, se o G-4 virou miragem, o rebaixamento ficou longe. Vanderlei não foi feliz em Salvador, mas não há técnico perfeito.

Ótima ideia

Se não chegou a ser original, porque muitos já pediam isso, a ideia de reunião de esclarecimento, quase didática, entre CBF, árbitros e capitães dos times da Série A pode trazer benefícios para todas as partes, quem sabe evitando muitos cartões amarelos e vermelhos. O encontro, além de esclarecer a questão da mão na bola ou da bola na mão ( já que voltará a ser tudo como antes), induzirá os árbitros a serem mais coerentes e os jogadores a diminuírem as reclamações absurdas.

Uma decisão

O jogo de sábado entre Cruzeiro e Inter, no Mineirão, será o mais importante e decisivo do Brasileiro até agora. Com seis pontos de vantagem sobre o Inter de Abel Braga, os mineiros serão virtuais campeões em caso de vitória, aumentando para nove a diferença. No empate, continua o grande favoritismo estrelado, mas com o Inter respirando. Se os gaúchos vencerem, o campeonato ganha alguma graça com os dois times no páreo. Qualquer outro, só por milagre.

Ainda falta alguma estabilidade às meninas do vôlei

A queda de produção da Seleção nos dois últimos jogos do Mundial - vitórias sobre Turquia e Sérvia - trouxe leve preocupação por oscilações e rendimento abaixo do esperado de importantes jogadoras, como Thaisa e Sheilla. José Roberto não esconde a apreensão e exigirá mais nesta segunda fase, que será muito difícil dentro desta absurdamente longa competição. Até o fim de semana, o Brasil encara Cazaquistão, Holanda, Rússia e EUA. Todos exigem concentração máxima.

Você pode gostar