Por fabio.klotz

Rio - Nenhum torcedor do Flamengo esquece a Copa do Brasil de 2013 e a forma sensacional como foi conquistada. A resistência no Mineirão com derrota magra para o favorito Cruzeiro, depois o emocionante 1 a 0 no Maracanã, gol de Elias no fim, e as decisões finais sempre difíceis, mas disputadas com a velha garra, com vitórias sobre Goiás e Atlético-PR. Foi uma alegre surpresa na época para o torcedor rubro-negro que nem esperava tanto. Mas confirmou como o time se sente à vontade em mata-matas e usa bem a força da torcida.

Luxemburgo tenta levar o Flamengo adiante na Copa do BrasilCarlos Moraes

Agora, as chances são maiores porque o time está mais estabilizado. A tabela ajuda - como pegar o América-RN nas quartas de final - e se o time for se classificando só enfrentará o Cruzeiro no fim. Aí terá que se desdobrar. A Copa do Brasil é a chance de o Flamengo salvar o ano porque o Brasileiro é só uma questão de manter as aparências.

Caso contrário é o do Botafogo, em grave crise, que enfrenta adversário mais forte, o Santos. Se conseguir a proeza de passar, pega o Cruzeiro logo na semifinal. Nessa rodada, Flamengo e Cruzeiro são grandes favoritos e só há um jogo equilibrado e empolgante: Corinthians x Atlético-MG.

O julgamento

Sheik elogiou e, na verdade, o resultado do julgamento do STJD sobre seu desabafo contra a CBF foi correto. Não houve radicalismo, nem o sentimento de puni-lo por críticas feitas em local inadequado, mas que representaram o legítimo direito de opinião. Os juízes mostraram sensibilidade para não passar uma imagem de intolerância. Já a suspensão por ofensas ao árbitro deve servir de lição para que os jogadores se segurem na hora de desabafar, mesmo contra os incompetentes no apito.

O ruim piora

O técnico Vagner Mancini está irritado e parando treinos para advertir jogadores sobre a apatia e o pouco envolvimento. Exatamente o que se viu contra o Grêmio. Pelo que se sabe, os botafoguenses ilustres que começaram a ajudar ou desistiram ou também estão atrasados no pagamento. O presidente Maurício Assumpção ainda tem a coragem de dizer que as coisas correm bem e que o futebol está assistido por dirigentes. Se a coisa voltou à estaca zero, preparem-se para a degola.

Chips descartados

A mediocridade dessa gente da CBF não tem limites. A Fifa deixou no país a aparelhagem eletrônica nas 12 arenas da Copa que poderiam continuar sendo acionadas a um custo de R$ 10 mil por rodada. Sob a alegação descabida de que outros estádios não têm os equipamentos e que seria caríssimo implantá-los em todos, a CBF zerou tudo. Mas se tivesse chip em um só estádio já seria um ganho. Eles não sabem que no resto do mundo nem sempre os recursos são iguais em todos os locais.

Tudo nivelado

Foi um jogo bom e movimentado na Liga dos Campeões. A vitória do PSG foi justa e mostrou como o futebol está nivelado. David Luiz foi grande destaque, jogou dentro de excelente esquema defensivo e jamais se viu desprotegido ou obrigado a salvar a pátria como um louco. A defesa do Barcelona merece reparos e alguns vacilos comprometem. Messi e Neymar jogaram bem, mas abaixo do seu potencial. E foi bom ver em ação tantos brasileiros, como o aplaudido Lucas.

Cazaquistão é bom time para aquecer as turbinas

Apesar das limitações do país, a influência da antiga União Soviética conta e o estilo é forte e definido. Por isso, o Cazaquistão é adversário difícil e pode aproveitar o vacilo de qualquer favorito. Ainda assim, tem vôlei inferior ao do Brasil. Boa chance de estreia na nova fase do Mundial para José Roberto Guimarães. Estamos bem no saque, na recepção, podemos melhorar no bloqueio, mas os passes têm rateado em momentos difíceis. Vamos ver se a Seleção joga como bicampeã olímpica.

Você pode gostar