Fred voltou a ser herói do Fluminense

Tricolor está na briga pelo G-4 do Campeonato Brasileiro

Por O Dia

Rio - Fred, aos poucos, vai esquecendo o pesadelo da Copa em que, depois de Felipão, acabou como o grande vilão. Apesar de ter interrompido o esquema vitorioso do Fluminense com Sobis, foi melhorando aos poucos e fazendo seus golzinhos com o apoio incondicional de Cristóvão. O Flu se recupera com a terceira vitória seguida e, agora, entra pra valer na briga por uma vaga na Libertadores. Mas não foi uma vitória tranquila. Depois do empate do Atlético-PR nos últimos minutos, ninguém esperava que saísse uma grande jogada de Fred, que dominou a bola em um cruzamento e bateu de primeira, fazendo um belo gol nos acréscimos para delírio da torcida.

Fred fez gol nos acréscimos e deu a vitória ao FluminenseAlexandre Brum

Foi uma alegria extra pelas circunstâncias especiais de uma vitória inesperada. O jogo não foi fácil. Quase todo o tempo, mesmo com menos posse de bola, o Atlético-PR foi perigoso nos contra-ataques e o Flu, depois do gol de Wagner, acabou se acomodando até o drama no fim. Não foi uma grande partida, mas, pelo menos,o Fluminense mostrou determinação e um sistema defensivo mais forte em relação ao de outras fases no campeonato.

A cartilha

O anúncio da cartilha da CBF merece uma análise sem adesão condicional nem falsos moralismos. Quando fala da proibição de brincos ou de hierarquia ao levantar da mesa depois das refeições, parece exagero. Mas é correto na questão de um traje minimamente composto, de limite de bagagens, telefonemas e uso de Internet ou manifestações religiosas. Na verdade, o comportamento dos europeus é um bom modelo, baseado, acima de tudo, na simplicidade e na discrição.

Os avanços

Na reformulação da Seleção, após o vexame na Copa, Dunga se encaminha para um inegável acerto, não apenas na mudança do esquema, mas em certas escolhas individuais. Além da chance de Jefferson, com o fim do ciclo de Julio Cesar, três nomes foram muito bem nos primeiros jogos: o zagueiro Miranda, muito firme e que poderia ter sido útil no Mundial; Willian, rápido e taticamente importante, e Tardelli, cuja mobilidade dá melhores opções a Neymar. Bom começo.

Nada mudou

O Vasco continua demonstrando, na Série B, que está muito longe do time forte, de personalidade, que a torcida esperava. Após duas derrotas, empatou em casa com a Ponte e nivelou o seu jogo ao do adversário, sem qualquer brilho. Resultado ruim que praticamente tira a chance de título e deixa o Vasco na briga por uma das vagas, embora tudo indique que vá voltar à Série A. Guiñazu foi o mais aplaudido pela garra de sempre. Sobrou até para Joel, vaiado pela galera.

Quem contratou?

Antes de jogar pedras sobre alguns dos piores jogadores do Botafogo - Dankler, Airton, Rogério, Wallyson ou Zeballos - é melhor a torcida não se esquecer de quem os contratou. Ou dos interesses por trás de indicações descabidas. Qualquer um da Chapecoense ou Figueirense parece mais habilitado, embora se deva dar o desconto dos atrasados e de um péssimo comando. Ninguém sabe também por que Mancini insiste em três atacantes se não tem bala na agulha para isso.

A reação irresistível do Real Madrid sobre o Barcelona

É um raro prazer assistir ao maior clássico do mundo com, pelo menos, 12 ou 13 jogadores geniais. Tudo parecia a favor do Barça com o golaço de Neymar logo de saída, mas o que poderia facilitar muito o time catalão acabou favorecendo jogo mais ofensivo. Com magnífica atuação de Isco, o Real Madrid empatou no pênalti de Cristiano Ronaldo. Na fase final foi muito superior e poderia ter ido além dos 3 a 1. Foi uma exibição excelente que promete um Real irresistível ainda mais que James Rodríguez pode render muito mais.

Últimas de Esporte