A Copa do Brasil anima o futebol

Competição de mata-mata é suspiro de emoção no país

Por O Dia

Rio - Se não fosse pela Copa do Brasil, com as suas emoções no mata-mata, estaríamos acompanhando, com interesse limitado, às rodadas finais do Brasileiro. A expectativa do Flu em relação à Libertadores é pouco para o Rio. Com o Fla mais confiante, e longe da ‘confusão’ pregada por Luxa, valeu a concentração total para a Copa do Brasil, justificando-se inteiramente poupar alguns titulares em Manaus. A melhor qualidade do Galo e a grande recuperação no Brasileiro lhe dão algum favoritismo, mas enfrentar o Fla tem seus desafios — um deles é a imensa torcida que costuma perturbar o adversário. Além disso, o retrospecto histórico lembra confrontos dramáticos nos quais nem sempre ganhou o mais forte. Será uma disputa no fio da navalha. Amanhã, o Maracanã será uma loucura.

Flamengo enfrenta o Atlético-MG no MaracanãMárcio Mercante

SEM ILUSÕES

É claro que o Botafogo pode escapar da degola e conseguir seu objetivo com quatro vitórias em sete jogos. Será provável? Pela lógica e retrospecto não, ainda mais que há jogos complicados contra Santos e Cruzeiro, fora, e Flu. A vitória sobre o Fla animou o grupo, que está ligado aos aparelhos. Mas a perspectiva é ruim. Não foi uma boa exibição em Manaus e o time é deficiente.

NA TENSÃO

Mesmo jogando mal e irritando a torcida, o Vasco se encaminha para ficar entre os quatro primeiros na Série B e, para isso, precisará apenas vencer os últimos jogos em casa. Afinal, derrotar ABC, Vila Nova-GO e Icasa não é nada do outro mundo. Joel vive irritado, o time ainda é um bando, mas as coisas se encaminham para a classificação.

A ARRANCADA

Após fase turbulenta em que Fred ainda era cobrado pela Copa, e Cristóvão se perdia com o grupo, eis que o Fluminense ressurge e, se não houver novos sobressaltos, conseguirá a vaga na Libertadores. Nos próximos cinco jogos, enfrentará times inferiores — Goiás, Coritiba, Botafogo, Chapecoense e Sport. Depois, o Corinthians, em casa. O torcedor já pode sonhar.

O CAMPEÃO

Mesmo quem não é muito fã do UFC deu uma olhadinha na decisão dos penas entre José Aldo e Chad Mendes. Ótima luta, com momentos tensos e violentos, em que o brasileiro impôs a sua maior categoria e resistência. Ganhou por pontos, com toda a justiça. Essa categoria costuma prolongar as lutas, mas recompensa com lances eletrizantes.

Últimas de Esporte