Por pedro.logato

Rio - Não adianta lembrar que o Corinthians fez 2 a 0 no primeiro jogo e foi eliminado, de goleada, pelo Atlético-MG, em BH. Entre duas grandes equipes, isso acontece raramente. Hoje, o Fla precisa se preocupar em vencer, e, se possível, por boa diferença, mas, acima de tudo, sem levar gol, por causa do critério de desempate. É até vantagem começar no Rio, onde o Fla tem mais chance de sair na frente e, depois, impor seu esquema no segundo jogo, com supremacia psicológica. Ajudam a força da torcida e o peso da camisa. Wallace e Alecsandro farão falta, mas a defesa tem sido bem protegida por Cáceres e Canteros. Na frente, espera-se um jogo de alto nível dos destaques Everton e Gabriel. Maracanã de casa cheia em um jogo de muitas emoções. A torcida terá papel fundamental.

Flamengo enfrenta o Galo no MaracanãMárcio Mercante

O DILEMA

Torcedores do Botafogo se dividem em relação a programar jogos com mando de campo para outros locais, preferencialmente Manaus. Se houver vantagem financeira, tudo bem, mas não se deve apelar à superstição. A não ser que o time se declare tenso pela pressão que sofre no Rio. Na verdade, tem é que jogar mais bola e repetir a fórmula de marcação e garra.

O CRAQUE DO ANO

A numerosa lista de craques na eleição da Fifa significa a homenagem aos destaques do ano, mas, para a decisão final, parece lógico que a disputa será entre Cristiano Ronaldo, com sua temporada excepcional, fora a Copa, e Robben, destaque absoluto no Mundial. Por justiça, um dos dois será o vencedor. Messi e Neymar estiveram abaixo do seu potencial.

ESQUENTOU

O São Paulo se aproximou do Cruzeiro. Cinco pontos de diferença em 21 abertos não chegam a ser uma loucura, embora a vantagem pareça relevante. As duas próximas rodadas devem clarear a situação: o Cruzeiro jogará em casa e o São Paulo, fora. Se houver nova aproximação, a coisa vai pegar fogo. De repente, o Cruzeiro saiu de sua zona de conforto nas duas frentes.

O TAPETÃO

Em outros tempos, o Flu era imbatível no tapetão e o advogado José Carlos Villela fazia milagres. Ano passado, voltou a mostrar força na briga com a Portuguesa, na qual qualquer outro grande teria vantagem. Como agora o Corinthians, ao não perder pontos pela escalação irregular de Petros. Hoje é o clube mais forte nos tribunais da CBF e ganha todas.

Você pode gostar