Por bernardo.argento

Rio - Desde que Vanderlei assumiu o comando do Fla, quase com o mesmo grupo de Ney Franco, o time sofreu uma metamorfose. A defesa vulnerável transformou-se em fortaleza. O meio-campo é um dos mais equilibrados com a determinação de Canteros e Cáceres combinando com o talento de Everton. O ataque funciona porque, mesmo sem Alecsandro, lá estão o garoto Gabriel, bela surpresa, e Eduardo da Silva, com os seus momentos.

Nos 2 a 0 sobre o Atlético-MG, tudo funcionou bem: o time segurou a pressão, com bom toque de bola, não deu espaços e ameaçou em velozes contra-ataques. Foi mais ousado na fase final, fez os gols e obteve vitória quase perfeita. Terá todas as vantagens táticas em BH, obrigando o Galo a um esquema meio suicida. O Fla é forte candidato ao título da Copa do Brasil.

Flamengo derrotou o Atlético-MG no MaracanãMárcio Mercante

QUASE GANHO

Quase é uma palavra perigosa no futebol, mas pode trazer também uma carga de otimismo. O Fla, com os 2 a 0 no Maracanã, leva grande vantagem para o jogo decisivo e, se, por exemplo, marcar um gol, o Atlético precisará fazer quatro. Foi o que aconteceu com o Corinthians, o que prova a capacidade de reação do Galo. Mas dificilmente, entre grandes, o raio cairá no mesmo lugar.

EM QUEDA

Parece claro, pelos últimos jogos, que o Cruzeiro está em processo de queda, principalmente física. O time já não brilha como no início do Brasileiro. Contra o Santos começou muito bem e poderia ter despachado o adversário em 20 minutos. Só fez um gol e na fase final desabou. É uma vaga em aberto e que ninguém se surpreenda se der Santos.

ENTRE CACOS

Mesmo depois da vitória sobre o Fla, o Botafogo continua vivendo um momento tenso, com 59% de risco de cair e um processo eleitoral caótico. Quem será o anjo salvador? Jefferson é o herói óbvio mas, sozinho, não faz milagres. Já apostaram em Jobson, mas ele está longe de sua antiga forma. Wallyson se lesionou. E há até quem fale que Carlos Alberto possa salvar o time!

‘BOYHOOD’ E TIM MAIA

O grande lançamento da semana é ‘Boyhood’, um dos melhores filmes do ano, que conta a trajetória de um menino dos 6 aos 18 anos, com filmagens durante 12 anos. Uma quase obra-prima de Richard Linklater. Mas o nacional de Mauro Lima sobre Tim Maia vale pela reconstituição meticulosa, painel musical arrebatador e ótima produção.

Você pode gostar