Por bernardo.argento

Rio - Foram precisos apenas 15 minutos de um bom e dinâmico futebol para o Cruzeiro liquidar o Botafogo no Mineirão. Tudo foi facilitado por falhas bisonhas de uma defesa improvisada em que Dankler é um convite ao adversário, Rodrigo Souto está deslocado e até Bolatti colaborou com a sua displicência. O primeiro tempo do Botafogo foi horroroso porque,além das falhas da defesa, o ataque não conseguiu sequer um chute a gol. A sorte é que o Cruzeiro puxou o freio, pensando no jogo de quarta, contra o Santos, pela Copa do Brasil.

No segundo tempo, o Botafogo melhorou após as entradas de Ramírez e Jobson, mas ficou a impressão de que Mancini errou na escalação. Nessa fase, houve chances dos dois lados e Jefferson fez excelentes defesas. Foi um segundo tempo até meio estranho porque o Cruzeiro poderia ter conseguido uma goleada, embora o Botafogo tenha esboçado uma reação que veio tarde, com um gol contra de Léo. O time é muito fraco e parece improvável que não caia. Agora serão 18 pontos em disputa e o Botafogo precisa de 12 ou, com muita sorte, de 10. Quem acredita?

Botafogo perdeu para o Cruzeiro neste domingo%2C no Mineirão%2C e segue no Z-4 do Campeonato BrasileiroO Tempo

Com autoridade

Na partida de sábado em Goiânia, o Fluminense, em muitos momentos, voltou a lembrar aquele time quase irresistível do começo do Brasileiro. Não manteve o padrão o jogo inteiro e até por isso levou sustos, mas a defesa voltou a se acertar. Conca brilhou em várias jogadas, com destaque para o belo segundo gol, e o ataque mostrou desde o oportunismo de Fred até o entusiasmo do garoto Kenedy. O G-4 voltou a ser real após a quarta vitória seguida na competição.

A ressurreição

Fred voltou de vez à tona e começa a se recuperar de sua longa má fase e da imagem de terror da Copa do Mundo. Já é um dos principais artilheiros, chegou à marca de 100 gols em Brasileiros e mostra-se à vontade como nos velhos tempos.Parece que a volta de Walter, a subida de produção de Conca e uma defesa bem armada lhe deram mais estabilidade e ele não tem perdido suas chances. Fred encerrou seu ciclo na Seleção, mas no Fluminense ainda pode ajudar muito.

Sem limites

As torcidas organizadas ou representantes delas continuam interferindo de forma indevida na rotina dos clubes, ora invadindo treinos, ora agredindo moral e fisicamente os jogadores em espaços públicos, principalmente aeroportos. O time do Vasco foi de novo vítima de hostilidades sem que os responsáveis do clube ou autoridades policiais interferissem de forma decisiva. O país vive em alguns setores, incluindo o futebol, a lei da selva. Salve-se quem puder.

O futuro ex

Mais ou menos como na política, o futebol criou a figura do futuro ex e anda anunciando antecipadamente a saída de técnicos (e até de jogadores, como no caso do Botafogo). Mano Menezes (foto), que faz trabalho irregular no Corinthians, não se firmou e já foi descartado para a próxima temporada. Mas vai levar esse barco até o fim do ano em situação incômoda, pois houve desfalques, queda de produção e, depois de ficar fora da luta pelo título, até o G-4 está a perigo.

Importância de Recife, Fortaleza, Salvador e Belém

Como seria bom para o futebol brasileiro que esses quatro centros voltassem a ter muita força. No pior caso, de Belém, festeja-se a promoção do Paysandu à Série B, o que é pouco para a tradição e o fanatismo da torcida paraense. Na Série C, a campanha do Fortaleza foi boa, mas o time acabou eliminado, e o Ceará dificilmente voltará à Série A. Pernambuco vive quase só do Sport. O Santa Cruz, de grande torcida, não mostra fôlego e perdeu jogo decisivo para o América-RN. Em Salvador, Bahia e Vitória têm brigado quase o tempo todo para não cair. É uma pena que o futebol do Norte e Nordeste jamais se firme, pois há tradição e muita torcida em seus principais centros.

Você pode gostar