Por pedro.logato

Rio - Há uma pequena polêmica no ar sobre a qualidade do time do Flamengo: é fraco, bom ou está só surfando na onda de Vanderlei Luxemburgo? Talvez tenha de tudo um pouco, mas já se pode dizer que os tempos negativos de Mano Menezes e Ney Franco eram mais reflexo da falta de comando e da desunião do grupo. Vanderlei, após anos de fracasso, motivou-se, retomou o gosto pelo trabalho e usou bem sua intimidade histórica com o Fla para fazer belo trabalho. Se não chegou a montar um timaço, porque ainda existem claras deficiências, deu padrão de jogo ao grupo e hoje encara de igual para igual todo mundo. Pode ser pior do que Cruzeiro e São Paulo, mas paramos por aí. Os demais são irregulares, vacilam e vivem até mais do prestígio anterior.

Flamengo vive momento de crescimentoAndré Mourão

SEM EMPOLGAÇÃO

Se a Série B tivesse melhor nível técnico, o Vasco estaria praticamente eliminado. Mas, no atual contexto, pode tropeçar muito que continuará na briga, pois rivais como Ceará, Avaí e Santa Cruz perdem demais e facilitam. Com três jogos em casa e a utilização do Maracanã como convite ao torcedor, a volta à elite é possível, mas com futebol ruim, sem título e sem horizontes para 2015.

A RETOMADA

A trajetória de Cristóvão e do Flu no Brasileiro é curiosa. Início com esquema eficiente, Sobis brilhando e ataque forte, mesmo sem Fred. Depois, a queda com a volta de Fred e a mudança de esquema. Cristóvão ficou ameaçado de cair, mas, nas últimas rodadas, tudo melhorou. Com Fred ao lado de Walter, defesa segura e empenho, o time decolou. Até quando?

SEM BOLÍVAR

Se o presidente Maurício Assumpção não tivesse colocado o ego e a vaidade acima do Botafogo, as coisas não estariam tão mal. Após tantos erros, ele não precisava piorar tudo (bastava a omissão). Quando tinha Edilson, Bolívar e Sheik, a performance era melhor e hoje estaria alguns pontos acima. Sem eles, o time é um bando e a zaga Dankler/Rodrigo Souto um reflexo das lambanças.

MUNDO CÃO

Inacreditável que existam regimes como o do Irã, que usa penas cruéis para crimes leves. A jovem Ghoncheh Ghavami foi condenada a um ano de prisão por ter ido a um jogo da Liga Mundial de vôlei, em Teerã, apoiar seu país contra a Itália. Como há proibição de mulheres em eventos esportivos, ela foi presa. Um atentado à dignidade humana!

Você pode gostar