Por pedro.logato
Publicado 06/11/2014 23:53 | Atualizado 07/11/2014 21:50

Santa Catarina - Quando a Série B de 2014 começou, no dia 18 de abril, quase todos os especialistas davam ao Vasco o grande favoritismo para ser o primeiro clube a conseguir o acesso para a elite do Brasileirão em 2015. Porém, o Joinville, clube do interior de Santa Catarina, desbancou o tradicional clube carioca e garantiu a 1ª vaga para a elite do futebol nacional com quatro rodadas de antecedência. Após 28 anos, o time está de volta à Série A.  

Um dos segredos dos catarinenses foi o trabalho do treinador Hemerson Maria, iniciado no começo da temporada, após uma passagem pelo Avaí, em 2013. Apesar de revelar que o acesso sempre foi o principal foco, o comandante admitiu que a velocidade com que a equipe conseguiu voltar para a elite do futebol nacional não era esperada pelo elenco.

"A sensação é de muita felicidade, de dever cumprido. Nós esperávamos subir, não com tanta antecedência, mas o planejamento do Joinville começou muito cedo. Em dezembro do ano passado já havia o foco no acesso. O Joinville bateu na trave por dois anos, mas desta vez conseguimos subir", afirmou o técnico de 42 anos.

Hemerson Maria comandou o acesso do Joinville para a Série ADivulgação

Porém, a passagem do treinador, que conseguiu levar o Joinville de volta para a Série A, não teve apenas momentos de felicidade e tranquilidade. Por conta do seu passado em clubes rivais do time catarinense, o comandante teve de conviver com certa resistência da torcida ao ser contratado para a temporada.

"Eu fui um jogador do Figueirense e também trabalhei na base deles como treinador. Na passagem como técnico, tivemos um grande trabalho de revelação, conseguimos jogadores de qualidade como Felipe Santana, por exemplo. Tive uma passagem também pelo Avaí, sendo campeão do Catarinense em 2012. Por isso, quando cheguei houve desconfiança por causa da rivalidade. Porém, com o tempo, nosso trabalho foi reconhecido. Conseguimos chegar à final do Catarinense, perdemos por detalhes. Agora, com o acesso, tenho certeza de que nossa torcida está muito feliz", comemorou.

Além da desconfiança inicial extracampo, Hemerson Maria teve de reinventar o Joinville na reta final da Série B. Grande destaque da equipe na competição, o atacante Jael, que teve passagem pelo Flamengo, sofreu uma lesão e desfalcou os catarinenses nos últimos meses. O atacante teve uma torção no tornozelo esquerdo, no dia 23 de setembro, passou por uma operação e só volta a jogar em 2015. O atleta continua como artilheiro da equipe na competição com 12 gols. Porém, mesmo sem o centroavante, o Joinville encontrou forças para se manter na frente da tabela e garantir o acesso.

"Durante a disputa do Catarinense e do primeiro turno da Série B, apesar de termos uma equipe muito bem acertada, o Jael era de fato um diferencial. Quando ele se lesionou, tivemos uma dificuldade inicial, uns quatro jogos de instabilidade, mas como o tempo nosso grupo mostrou que é muito forte e conseguimos pensar em outras alternativas. Estamos com a melhor campanha na competição, conseguimos o acesso e estamos brigando pelo título", disse.

Mesmo com lesão%2C Jael foi o artilheiro da equipe na Série BDivulgação

O acesso do Joinville é mais uma prova da consolidação do futebol de Santa Catarina. Com três clubes na Série A de 2014 (Avaí, Chapecoense e Figueirense), o estado igualou o número de representantes do Rio de Janeiro nesta edição, algo inédito na história. Para 2015, há a possibilidade de cinco equipes catarinenses na elite. Para o treinador do Joinville, o segredo do bom momento é o foco no planejamento.

"Hoje o nosso campeonato é muito forte. Além das cinco equipes (Avaí, Chapecoense, Figueirense, Joinville e Criciúma) que disputam a Série A e B, ainda há outras equipes do interior que têm muita qualidade. Acho que há pontos muito importantes como a organização, os clubes têm CT e um departamento de futebol muito forte. Acho que o apoio que as equipes de Santa Catarina têm é importante. Aqui os torcedores do interior torcem pelas equipes locais, isso faz com que os clubes sejam muito fortes e tenham bom público nas partidas. Acho que a tendência é a de que os clubes cresçam ainda mais", revelou.

Torcida do Joinville fez a festa%2C após a classificação da equipe para a Série ADivulgação

Para 2015, os desafios serão ainda maiores para o Joinville. Com uma equipe bem entrosada, Hemerson afirmou que a prioridade para a próxima temporada é não perder jogadores. Porém, ele garantiu que os catarinenses também vão estar atentos ao mercado para reforçar o elenco para a Série A.

"Não teve nenhuma conversa direta para 2015, porém, nosso elenco já tem contratos longos. A base da nossa equipe hoje pertence ao Joinville. Claro que como houve a valorização de alguns atletas nós podemos perder alguns jogadores. Porém, não é só manter a base. Nós também já temos alguns jogadores mapeados, porque precisamos reforçar o elenco. Tenho certeza de que o Joinville fará uma bela Série A em 2015", concluiu.

* Colaborou Edsel Britto

Você pode gostar