A festa do melhor futebol

Cruzeiro foi tetracampeão do Brasileiro e Galo vive grande fase

Por O Dia

Rio - A Copa do Brasil é mata-mata, o que, para muitos, traz resultados injustos, não importa o bom nível de jogos sempre decisivos e emocionantes. Este ano a competição levou à final Cruzeiro e Atlético-MG e foi uma das melhores de todos os tempos. O Cruzeiro é o grande time do Brasil, mesmo com a ligeira queda recente por conta de calendário longo. Ganhou o Brasileiro por antecipação e poderá agora equilibrar a decisão mesmo com a derrota de 2 a 0 no primeiro jogo. É difícil imaginar que ocorra, pela terceira vez, o raro fenômeno de um time entrar com vantagem de dois gols e ser eliminado. Mas o Cruzeiro poderá encontrar outros caminhos, inclusive o dos pênaltis. Se levar um gol, no entanto, dificilmente fará quatro. Olho na TV hoje à noite porque a decisão será eletrizante.

Há dois anos a frente do Cruzeiro%2C Marcelo Oliveira conseguiu seu segundo título Brasileiro seguidoReuters

ESFARRAPADAS

O agora ex-presidente Maurício Assumpção falou ontem à Rádio Globo e deu desculpas esfarrapadas. Quis justificar fraude na questão dos impostos por causa de suposta benevolência da Justiça com outros clubes, lamentou a perda de Seedorf e se omitiu nas questões do contrato de marketing em família e dos atletas demitidos. Foi o pior presidente do Botafogo.

ASSIM NÃO DÁ

O Corinthians é um dos pouco</MC>s grandes clubes brasileiros que tentam se organizar profissionalmente.Mas até esse esforço pode naufragar com a política salarial alucinada. Guerrero, um atacante de bom nível, mas que não é craque, deve receber cerca de R$ 10 milhões anuais — R$ 800 mil por mês. Nossa realidade não permite tal desatino.

EQUILÍBRIO

Em outros tempos, a Copa América tinha seus favoritos de praxe — Brasil e Argentina bem à frente e Uruguai por perto. Mas, atualmente, isso não vale mais. Além do anfitrião Chile, que passa por boa fase, Paraguai, Colômbia, Equador e México também podem fazer jogo duro. Mesmo com regulamento que classifica oito em 12 na 1ª fase, será equilibrada e imprevisível.

O MONSTRO

Messi não tem limites. Após os 253 gols no Espanhol, ultrapassou Raúl e CR7 na Liga dos Campeões, chegando a 74 no mesmo jogo em que Suárez deu início ao que será novamente sequência sensacional de gols. Talvez a Copa seja a pedra no sapato de Messi, mas ele não ganha título sozinho. Se Di María estivesse em campo na decisão...

Últimas de Esporte