Com evolução no estado clínico, Pelé retira cateter utilizado na hemodiálise

Ex-jogador responde bem ao tratamento, mas continua internado em São Paulo e sem previsão de alta

Por O Dia

São Paulo - Com boa evolução clínica, Pelé passou por exames esta quinta-feira e teve uma boa notícia: ele não precisará de nova terapia de suporte renal e retirou o cateter anteriormente utilizado para o procedimento dialítico. Apesar de responder bem ao tratamento, o Rei do Futebol ainda não tem previsão de alta.

Segundo o boletim médico emitido no começo desta noite pelo Hospital Albert Einstein, "o paciente permanece evoluindo bem no aspecto clínico. Pelé está animado. Internado em ambiente de semi-intensiva. O cateter que foi anteriormente utilizado para o procedimento dialítico foi retirado hoje, sem intercorrências. Nova avaliação do rim será conduzida na manhã de sexta-feira. Persiste sem febre, alimenta-se adequadamente e com medicação antibiótica ainda por via endovenosa".

Pelé segue internado em São PauloEfe

No domingo, a hemodiálise foi suspensa, e Pelé já demonstrava avanços no quadro de recuperação de uma infecção renal. Uma nova avaliação foi feita e não houve necessidade de retormar o processo.

A hemodiafiltração, de acordo com o Hospital 9 de Julho, é uma terapia de substituição renal. O sangue do paciente passa por um filtro “maior” que consegue captar mais toxinas do que em uma hemodiálise convencional. De acordo com os estudos científicos, o método reduz complicações e possui menor índice de inflamação, desnutrição, anemia, risco cardiovascular e insuficiência cardíaca, além da redução na mortalidade.

Na quinta-feira, Pelé publicou uma mensagem nas contas oficiais no Twitter e no Facebook. O ex-jogador esclareceu estar se recuperando bem e disse, na verdade, não ter sido transferido para a UTI - contrariando a informação que consta no boletim médico do hospital.

Pelé foi internado no mesmo hospital em 12 de novembro, com dores abdominais. Na ocasião, passou por um procedimento cirúrgico para a retirada de cálculos renais e recebeu alta no dia 15. Ele voltou a ser internado na última segunda-feira com uma infecção urinária.

De acordo com especialistas, a infecção ocorre por causa de germes, em geral bactérias, que entram pela uretra e chegam até a bexiga. Entre os sintomas está a cólica no baixo abdome (em geral, no centro) ou nas costas, dores estas apresentadas pelo ídolo do Santos e seleção brasileira.

Últimas de Esporte