'Decepcionado' com Cain, Cigano busca não 'bitolar' no boxe em volta ao UFC

Lutador catarinense encara o croata Stipe Miocic neste sábado, em Phoenix e volta aos octógonos mais de um ano após sofrer nocaute para o americano Cain Velásquez

Por O Dia

Rio - Mais de um ano depois de levar uma surra de Cain Velásquez e perder a chance de retomar o cinturão dos pesados, Junior Cigano voltará aos octógonos neste sábado. O catarinense enfrenta o croata Stipe Miocic no UFC on Fox 13, em Phoenix, nos Estados Unidos.

Para retomar o caminho das vitórias e do tão almejado título dos pesados, Cigano resolveu mudar. Ele deixou Salvador e foi treinar no Rio de Janeiro, na academia Nova União, chefiada por Dedé Pederneiras, uma das mais bem avaliadas mundo afora. José Aldo e Renan Barão também fazem parte do mesmo time.

Em nova casa e com novo comando, Cigano, conhecido pela mão pesada, parece ter entendido que o boxe não é a única alternativa para vencer um combate. "A diferença entre os campeões é a estratégia. Tenho que buscar não ficar bitolado só no boxe. Não vou negar minhas características e vou buscar o nocaute, mas tenho de estar apto aos detalhes para mudar de estratégia. Quero estar mais forte mentalmente", disse o ex-campeão dos pesados em entrevista ao iG.

Cigano e Velásquez se enfrentaram três vezesDivulgação

A luta entre os dois aconteceria no fim de maio, em São Paulo, mas uma lesão tirou o brasileiro do combate. Cigano foi substituído por Fábio Maldonado, nocauteado por Miocic com menos de um minuto do duelo. Assim como Cigano, o croata também é forte no boxe e tem o wrestling como outro ponto a destacar.

Por conta do alto nível na luta em pé, o brasileiro não acredita que o duelo terá cinco rounds. "Acho que qualquer luta entre os pesados é perigosa. Quando a mão entra, o rival sente, cai e a luta acaba ali mesmo. Não acredito que vai durar os cinco rounds. Somos contundentes com os ataques em pé. Ele também é bom no wrestling e pode levar para o chão. Não vou fugir da luta no chão e também posso usar o meu jiu-jitsu. Pode ser minha primeira finalização no UFC, quem sabe".

Junior Cigano e Cain Velásquez já se enfrentaram três vezes. O brasileiro nocauteou na primeira oportunidade, mas o americano levou a melhor nas outras duas e detém o cinturão dos pesados. Questionado sobre a possibilidade de uma quarta luta, o campeão disse que não deseja encarar o brasileiro novamente, o que desagradou a Cigano.

"Na verdade, falei que vamos nos enfrentar outras vezes. Depois fiquei sabendo que ele disse que não é interessante outra luta comigo. Fiquei decepcionado. Sempre admirei ele e vi como alguém que se recuperou. Não é uma questão de escolha dele, campeão que é campeão não escolhe oponente e existe um ranking também. Quem escolhe é o UFC", desabafou o lutador catarinense.

Antes de pensar em uma nova luta contra Cain Velásquez, Cigano sabe que precisa passar por Miocic. Agora, em seu caminho até uma nova disputa pelo cinturão, existe outro brasileiro: Fabrício Werdum. O gaúcho enfrentaria o americano no México, mas Cain teve uma lesão e foi substituído por Mark Hunt. Werdum nocauteou seu rival e agora possui o cinturão interino da categoria. Os dois já lutaram em 2008, Cigano venceu e uma revanche é possível para 2015. O catarinense elogiou a evolução de Werdum e já escolheu um local para o novo duelo.

"O Werdum evoluiu muito na luta em pé e tem o melhor jiu-jitsu entre os pesados. Estava perdendo para o Hunt e acertou uma joelhada que deu a vitória para ele. Nunca escolhi adversário, mas ficaria feliz de fazer uma nova luta contra ele, principalmente no Brasil".

Reportagem de Mauricio Nadal do iG

Últimas de Esporte