Magno Alves se declara ao Fluminense e quer levar o Ceará à elite em 2015

Atacante foi o maior goleador do Brasil em 2014, com 37 gols

Por O Dia

Ceará - Já são 13 anos de saudade da torcida tricolor. Paixão que nem o tempo conseguiu apagar. Não é para menos. Nos cinco anos em que vestiu a camisa do Fluminense, o atacante Magno Alves fez história: é o 11º maior artilheiro do clube com 112 gols, e o segundo maior goleador tricolor em Campeonatos Brasileiros, com 43.

Prestes a completar 39 anos, terça-feira, o eterno Magnata tem provado no Ceará que a maturidade só aumentou a sua sede de gols. Maior artilheiro do futebol brasileiro em 2014, com 37, o vovô-artilheiro pode se gabar de ter deixado no chinelo os principais atacantes do país. Uma façanha e tanto para um quarentão, que até hoje não esqueceu de um amor antigo.

“Sempre tive muito carinho pelo Fluminense. Foram cinco anos desde a queda e a conquista da Série C (1999), e depois a Copa João Havelange (2000), onde me destaquei. É uma história que ficou na minha vida, no meu coração.Mas hoje sou uma referência no Ceará, que me abriu todas as portas. Ano passado houve até o interesse (Flu),mas ficou no quase. Vou continuar fazendo o meu trabalho e deixo o meu futuro nas mãos de Deus”, afirmou.

Magno Alves fez história no Flu: é o 11º maior artilheiro do clube com 112 gols, e o segundo maior goleador tricolor em Campeonatos Brasileiros, com 43.Divulgação

Se o futuro é incerto, o presente é bem pé no chão. Em grande forma, o atacante curte a lua de mel com a torcida do Ceará, onde é idolatrado desde a sua primeira passagem, em 2010 — após voltar de uma temporada de sete anos pelo futebol japonês e árabe. Foram nove gols decisivos em 20 jogos. Gols que o levaram ao Atlético-MG, onde a passagem foi modesta, em 2011. Em 2013, o Magnata se aventurou pelo Umm-Salal, do Catar, até acertar a sua volta ao time cearense, onde foi vice-artilheiro do Brasil em 2013, com 34 gols, e depois bicampeão estadual em 2014. Alegrias que não apagaram a frustração de não ter levado o Ceará de volta a Série A, no último Brasileiro. Uma missão que o atacante pretende cumprir este ano.

“O meu principal objetivo é levar o Ceará de volta à Série A. Batemos na trave duas vezes, foi difícil. Vou estar focado nisso. E, é claro, espero continuar fazendo muitos gols para, quem sabe, voltar a ser o maior artilheiro do Brasil”, afirmou.

Para repetir a proeza, Magnata cumpre o dever de casa à risca. Avesso às típicas farras de jogadores de futebol, o goleador se cuida muito bem fora de campo.

“Não perdi muito fisicamente com a idade. Eu me alimento bem, não bebo, não tenho vícios e não passei por nenhuma cirurgia. Isso ajudou na longevidade da minha carreira”, explica.

Magno Alves também atende pela alcunha de Magnata Divulgação

Além de sempre cuidar da forma física, Magno Alves garante que evoluiu tecnicamente ao longo da carreira, aprendendo com os melhores. “Me lembro muito da época em que jogava com o Romário. Ele sabia como poucos marcar gols. É importante saber se posicionar na área, faz toda a diferença. Também tenho facilidade de chutar com os dois pés e de fazer gols de cabeça. Essas características me diferenciaram dos outros”, garante.

Outra inspiração para o artilheiro fazer muitos gols vem da família e da religião.
“Tenho uma família maravilhosa e Deus no meu coração. Quem acredita sabe que tudo é possível. O segredo chama-se Jesus. O caminho da vida é espiritual”, prega o jogador que é evangélico.

Últimas de Esporte