Por pedro.logato

Rio - O Flamengo fez uma boa pré-temporada, ganhou o Torneio de Verão, reforçou-se moderadamente, mas ficou melhor. Sua torcida tem todas as razões para esperar uma boa campanha e o título. E a estreia será exatamente amanhã contra o melhor dos pequenos, o Macaé, que subiu para a Série B do Brasileiro. Houve um ou dois desfalques, mas a base foi mantida e não há dúvida de que não faltará motivação para tentar uma zebra logo de saída. É perspectiva de uma partida disputada e não será surpresa se houver um tropeço rubro-negro. Ainda assim, o favoritismo é do Flamengo, que continua forte na defesa, conta com um meio-campo forte, a habilidade de Everton e ainda espera que Cirino se imponha logo. Deve ser um dos raros bons jogos entre grandes e pequenos.

Marcelo Cirino é o principal reforço do Flamengo Bruno de Lima

BELO ASTRAL

Não há dúvida de que, para um clube destroçado no fim de 2014, cheio de dívidas e sem jogadores, as mudanças em um mês foram significativas — apesar das improvisações e limitações, há um ambiente de esperança e seriedade. Pelo que mostrou no último amistoso, o Botafogo pode começar o Estadual com boa vitória sobre o Boavista. Depois de 2014, quase tudo será lucro.

BONS INDÍCIOS

Não se pode dizer que a transparência seja total, pois, em obras públicas, a coisa é complicada. Mas o percentual de obras bem encaminhadas e no prazo para os Jogos do Rio-2016 é bem razoável. Muitas contam com a maior parte de investimento privado e há clima positivo, embora exista grande dúvida quanto à despoluição da Baía de Guanabara.

SIMPLES ASSIM

Em toda essa discussão sobre o Estadual, os torcedores mais apaixonados fazem perguntas simples, que deveriam ter respostas claras dos cartolas: faz sentido colocar jogo às 19h30 em dia útil com o infernal trânsito carioca? Ou às 22h pelos problemas de segurança? E, nos fins de semana, às 16h ou 17h com horário de verão e um sol de rachar? Ninguém merece.

CINEMA DE CLASSE

Quase todos os filmes indicados ao Oscar merecem ser vistos. Nos lançamentos de ontem, ‘Birdman’ e ‘Teoria de tudo’ são imperdíveis,, com belo duelo para ver quem leva a estatueta de melhor ator: Michael Keaton ou Eddie Redmayne. Correndo por fora, vale dar uma olhada em ‘Cássia Eller’, pois o cinema brasileiro tem tradição em obras desse tipo.

Você pode gostar