Cristóvão Borges na corda bamba

Fluminense vive momento complicado no Carioca

Por O Dia

Rio - Pode ser até que Cristóvão Borges não esteja ameaçado no seu cargo, mas quem conhece futebol e, principalmente, os bastidores do Fluminense, sabe que a sua batata está assando. Ele esteve para sair antes do início do Estadual e ficou em meio ao êxodo de jogadores e uma transição complicada. Pode-se até dizer que ele foi prejudicado por um ambiente politicamente conturbado, antes com a administração dupla e atualmente, com a carência de um elenco forte. Mas Cristóvão tem certa culpa no cartório porque faz substituições inoportunas e se mostra hesitante em definir um esquema. Fred não pode ser aquele jogador móvel que Sóbis foi em um período vitorioso. Não é fácil porque há muita gente inexperiente. Cristóvão, com novo insucesso, pode cair por causa de sua insegurança.

Cristóvão Borges vive momento tenso no TricolorMárcio Mercante

SEM O CHIP

O futebol continuará sempre vivendo o drama das bolas que entram ou não entram enquanto não for disseminado o uso do chip. Tudo é agravado pela mediocridade dos árbitros. No caso do gol validado do Fla, Wagner Magalhães não poderia ter certeza de sua posição e validou o gol talvez pelo peso da camisa rubro-negra e pelo marcador. E assim continuará sendo sem o chip.

BOM SENSO

René Simões vem acertando até agora por saber escolher as laranjas para fazer o melhor suco possível. O Botafogo acertou em priorizar jogadores da Série B em vez de buscar reforços nos pequenos locais. E a experiência ajudou a montar um elenco razoável, dentro das limitações. De quebra, René parece ter se tornado mais próximo dos jogadores.

BOA DECISÃO

O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, mostrou boa visão ao aceitar o clássico com o Fla no Maracanã. A possível vantagem de jogar em casa não compensaria o prejuízo financeiro e o encolhimento de um jogo altamente motivado. E também ajuda a evitar cenas de violência que seriam favorecidas no Engenhão, principalmente nos arredores mal policiados.

SEM TRANSPARÊNCIA

O Fla se despede de Léo Moura de forma confusa, sem dar ao jogador o devido lugar de honra. Ao contrário, relegado a um banco de reservas e em meio a comentários de que Vanderlei cobra a conta de mágoas antigas. Léo faz bem em se mandar para faturar algum nos EUA e nem deveria jogar pelo Fla nesta semana porque corre o risco de uma lesão.

Últimas de Esporte