Doriva vai impondo o seu estilo

Vasco vem evoluindo no Campeonato Carioca

Por O Dia

Rio - No dia da apresentação, Eurico Miranda contestou Doriva e disse que o Vasco teria que ser muito ofensivo. Mas o treinador não abriu mão dos seus princípios vitoriosos da época do Ituano. E, com a defesa menos vazada, mantém o Vasco entre os primeiros. Bem armada, com ótima proteção de Guiñazu e Serginho, ela é a base do esquema. No jogo com o Flu, houve a confluência de duas situações: contra adversário desarrumado, o Vasco pôde atacar mais sem se descuidar da defesa e, ao mesmo tempo, ganhou dois jogadores — Julio dos Santos e Gilberto. A lição é simples: encontrar o ponto exato com equilíbrio tático, compactação de setores e ocupação dos espaços. Não adianta cornetar que time bom é time que só pensa em atacar. A defesa é a base da força e os campeões sabem disso.

Esquema tático do Vasco vem evoluindo com DorivaDivulgação

SAUDADES

A Fluminense vive fase de saudades. Recuando no tempo, a dupla inesquecível Assis-Washington, o Casal 20, que mereceu justa homenagem. E, mais recentemente, fica claro que jogadores como Conca, Sobis, Carlinhos e até o lesionado Gum quase voltando, deixaram um vazio. Grande saudade também dos melhores tempos da Unimed, quando dinheiro não era problema.

MUDANÇA

René Simões agradeceu a paciência e o apoio da torcida do Botafogo que vem empurrando o time e na última rodada proporcionou o melhor público, superior ao clássico. Mas o contraste com 2014 é explicável: a torcida sente que o trabalho é sério, os jogadores são respeitados e se esforçam ao máximo. Tudo o que ela jamais viu no tenebroso 2014.

AVE DE RAPINA

Contra números é difícil encontrar argumentos. O que se pode dizer da verdadeira limpeza que a federação faz nas finanças dos clubes a cada jogo? No clássico, o Vasco levou escassos 8% da já pequena renda bruta, o Fluminense mal passou dos 2% e a própria Ferj ficou com quase 20%. Tem muita gente mamando e isso explica o imobilismo e a manutenção de tantos pequenos.

80% ESTÃO ÓTIMOS

É difícil acreditar, mas se o governador Pezão mantém poucas esperanças de que, na Olimpíada, a Baía de Guanabara estará 80% despoluída, vamos aguardar. É complicado aceitar que essa taxa superou os 40% porque a mortandade de peixes nos últimos dias foi chocante. A situação é tão constrangedora que qualquer avanço é digno de comemoração.

Últimas de Esporte