Barcelona recorrerá para impedir que Bartomeu e Rossel vão a julgamento

Presidente e antecessor do clube espanhol serão julgados por crimes fiscais na contratação de Neymar

Por O Dia

Espanha - O Barcelona anunciou nesta sexta-feira que vai recorrer da decisão do juiz do "caso Neymar", que propôs julgar o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, o antecessor no cargo, Sandro Rosell, assim como o próprio clube, por crimes fiscais no decorrer da contratação do atacante brasileiro.

Pablo Ruz, da Audiência Nacional, concluiu que os dirigentes e o Barça (neste caso como pessoa jurídica), cometeram, pelo menos, tres delitos, pelas cotas que deixaram de pagar à Fazenda, referentes a parcelas pagas para a aquisição de Neymar, referentes a 2011, 2013 e 2014.

Justiça irá investigar presidente e antecessor do Barcelona pelo 'caso Neymar'Reuters

Em comunicado, o clube garante que não concorda com a decisão judicial, se baseando em argumento apresentado pela defesa de Bartomeu, Rosell e Barcelona, de que não há certeza de que algum crime tenha sido cometido. O recurso ainda não foi apresentado, pois não houve notificação formal por parte da justiça.O clube ainda questionou o fato de a imprensa ter recebido a informação de maneira antecipada.

Ontem, a defesa do Barça alegou que Ruz não tinha competência para julgar o caso, e solicitou transferência do processo para a tribunal catalão, o que foi negado nesta sexta-feira. Hoje, o clube apontou que "será objeto de imediata denúncia a anormal rapidez com que estão executando os trâmites" do processo.

"Uma rapidez que não respeita nem mesmo os ritmos processuais, nem as garantias das partes, como, por exemplo, que até hoje não tenha se escutado em depoimento, o representante legal do FC Barcelona, apesar de o juiz de instrução ter concordado com isso", apontou o comunicado.

De acordo com o juiz espanhol, a contratação de Neymar pelo Barcelona custou 83,3 milhões de euros, contra 57,1 milhões de euros declarado pelo Barcelona.

Últimas de Esporte