Hamilton vence na Austrália; Nasr torna-se 1º brasileiro a pontuar na estreia

GP na Oceania abriu a temporada de Fórmula 1

Por O Dia

Austrália - Lewis Hamilton e a Mercedes começaram a temporada 2015 do Mundial de Fórmula 1 neste domingo como terminaram a do ano passado, no topo do pódio e mostrando grande superioridade sobre os concorrentes. O piloto inglês, campeão em 2014 e que está em busca de seu terceiro título na categoria, venceu o Grande Prêmio da Austrália, no circuito de Albert Park, em Melbourne, com sobras. Nico Rosberg, que esteve perto do companheiro em toda a prova, ficou em segundo e garantiu a dobradinha da equipe alemã. A grata surpresa foi a bela estreia de Felipe Nasr.

Mercedes fez dobradinha na Fórmula 1Reuters

O piloto da Sauber, que correu o risco de não participar da corrida por causa de um processo do holandês Giedo van der Garde contra sua equipe, cruzou a linha de chegada em quinto. Nasr tornou-se, assim, o primeiro brasileiro a pontuar ao fazer sua primeira prova na Fórmula 1. Até então, o melhor resultado tinha sido um sétimo lugar de Chico Serra no GP dos Estados Unidos de 1981, quando apenas os seis primeiros colocados pontuavam. Felipe Massa chegou em quarto e poderia ter conseguido um resultado ainda melhor caso não tivesse perdido a terceira posição, nos boxes, para Sebastian Vettel, que subiu ao pódio em sua estreia pela Ferrari.

Centro das atenções da torcida da casa, o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, chegou em sexto, seguido pelo alemão Nico Hülkenberg (Force India) e os estreantes Marcus Ericsson, sueco companheiro de Nasr na Sauber, e o espanhol Carlos Sainz (Toro Rosso), filho do bicampeão mundial de rali homônimo. O mexicano Sergio Pérez (Force India) foi o décimo colocado. Apenas 15 carros largaram entre os 20 que compõem o grid. Alegando problemas de software, a Manor, ex-Marussia, não pôs seus carros na pista durante todo o fim de semana, o que levou a FIA a cobrar explicações da equipe. Companheiro de Massa na Williams, Valtteri Bottas reclamou de dores nas costas durante o treino de classificação, no qual ficou em sexto. O finlandês passou por exames médicos e acabou vetado.

Neste domingo, enquanto fazia voltas de reconhecimento da pista, Kevin Magnussen viu sua McLaren soltar fumaça e parou em uma área de escape, com pane no motor. Pouco depois, Daniil Kvyat, que faria sua estreia pela Red Bull na vaga que até o ano passado era de Vettel, também estacionou, com suspeita de quebra de câmbio. Além disso, Magnussen substituía Fernando Alonso, que, por recomendação médica, após sofrer um acidente nos treinos de pré-temporada, não pôde correr e só deve reestrear na equipe inglesa (na qual esteve em 2007) no GP da Malásia, segunda etapa do calendário. E desses 15 carros que largaram, 11 completaram a prova. Max Verstappen, mais jovem piloto a alinhar num grid de F-1, aos 17 anos e 166 dias, parou na 34ª volta com problemas no motor de sua Toro Rosso. Kimi Raikkonen, que esteve entre os cinco primeiros, teve que abandonar devido a uma falha da equipe Ferrari em um pit-stop.

Os mecânicos demoraram a trocar o pneu traseiro esquerdo de seu carro, não o fizeram corretamente e liberaram o finlandês para voltar à pista, causando a parada. As duas Lotus também não completaram a corrida. A de Pastor Maldonado, devido a um acidente com o próprio Raikkonen e Felipe Nasr, na primeira curva, após o brasileiro tocar nos carros de ambos após uma largada tumultuada. O do venezuelano rodou e bateu em um muro, provocando a entrada do safety car. Afetado indiretamente, o companheiro de Maldonado, Sebastian Grosjean, teve seu bólido avariado e precisou abandonar. Embora tenha recebido a bandeirada final, a McLaren de Jenson Button quase não foi notada. E o resultado deveria mesmo ser esquecido pelo piloto campeão mundial em 2009, que chegou em 11º, a duas voltas de Hamilton. A próxima etapa do Mundial de Fórmula 1 será o Grande Prêmio da Malásia, no dia 29 de março, no Circuito Internacional de Sepang.

Últimas de Esporte