Dilma defende medida provisória que rebaixa clubes endividados com a União

Presidente vai assinar MP que renegocia dívidas dos clubes, mas com a contrapartida. Quem não cumprir, será rebaixado

Por O Dia

Em discurso%2C Dilma defendeu liberdadeRoberto Stuckert Filho/PR

Brasília - Uma medida provisória que obriga os clubes brasileiros a honrarem suas dívidas com a União será apresentada pelo governo federal nesta semana.

LEIA MAIS: Ucrânia ameaça boicotar Copa do Mundo da Rússia em 2018

Segundo reportagem do jornal "Folha de S. Paulo", a presidente Dilma Rousseff já aprovou o texto da medida.

No texto, está claro que o clube que aderir ao Refis (novo modelo de refinanciamento dos clubes proposto pelo governo) e não honrar as parcelas do programa, ou contrair novas dívidas junto à União, pode ser até rebaixado. É esta a medida defendida pelo Bom Senso F.C., que vai na contra-mão da CBF.

Para o governo, somente uma dura pena pode mudar o cenário brasileiro. Para a CBF, a medida adotada neste ano, chamada de "fair play trabalhista", é suficiente. Na proposta da entidade, os clubes que devem salários aos jogadores podem perder pontos. Não há, contudo, nenhuma punição para o escalonamento de dívidas.

Dados extraoficiais publicados pelo jornal, indicam passivo de R$ 4 bilhões dos clubes brasileiros com a União, a maior parte com o INSS e o FGTS.

Além da punição severa aos clubes devedores, o texto estabelece que os presidentes de clubes não poderão se reeleger por mais de dois mandatos de quatro anos cada. Eles ainda serão sujeitos à responsabilização civil e criminal em caso de gestão temerária. A MP também obriga os clubes a publicarem na internet balanços contábeis mensais.

Últimas de Esporte