Por pedro.logato

Rio - Quando se esperava um mínimo de organização no Carioca e até facilidade para elaborar o roteiro do campeonato com a bela arena Maracanã, eis que todos se envolvem em uma confusão de interesses econômicos e políticos que expõe a falta de união dos clubes e o desinteresse na conciliação por parte da federação. O que parece resolvido nunca é de forma clara e definitiva e sempre deixa no ar armações e jogadas por baixo do pano. Há contratos diferenciados do consórcio com Fla e Flu enquanto Vasco e Botafogo jamais se acertaram sobre a questão. Predomina a politicagem com a Ferj e tudo ficou mais fácil com a volta de Eurico Miranda, que se julga o mais esperto de todos e trata qualquer assunto como se estivesse em uma rinha de galo. Não há mocinhos na história e o torcedor é quem perde.

Futebol carioca passa por começo de ano complicadoEduardo Cardoso / Agência O Dia

MARIN ESTÁ CERTO

As coisas andam tão complicadas que até José Maria Marin, mesmo na defensiva, é capaz de falar com sentido. O seu alerta sobre as dificuldades de classificação do Brasil à Copa de 2018 tem tudo a ver. Os outros melhoraram no continente, o Brasil piorou. Temos Neymar mas é pouco. Com ele bem, ainda precisaremos de capricho total. E rezemos para que nada afete a sua performance.

NOVO ESTÁDIO

Assunto que rola há anos é a construção do estádio do Flamengo na Gávea. Muito se discutiu, se discordou e nada saiu do papel. É importante para clube de tal importância ter um estádio próprio, mas na Gávea há problemas — a começar pelo caos que causaria em um local já congestionado. E algo provisório para 20 mil seria um inútil quebra-galho.

ESPERANÇA

Em meio a novidades preocupantes, as vitórias de São Paulo e Atlético-MG na rodada da Libertadores deram belo alento ao futebol brasileiro. O Galo resistiu bem ao Santa Fé e teve o necessário oportunismo para buscar o resultado. Ressurgiu na competição com bela atuação de Marcos Rocha. O São Paulo, mesmo travado, insistiu até o fim, achou o gol e passou o San Lorenzo.

DE NOVO, ELA

Nunca é demais acompanhar a carreira da bela e talentosa Julianne Moore. Ainda está em cartaz no sensível ‘Para sempre Alice’, ela reaparece em grande estilo em ‘Mapas para as estrelas’, de David Cronenberg. Especialista em suspense e terror, ele mergulha nos bastidores de Hollywood e nos concede o charme de Mia Wasikowska. Drama forte.

Você pode gostar