Por fabio.klotz

Rio - A chata corrida mereceu acabar com safety car na pista. Pelo menos o GP da China mostrou a realidade da F-1 até agora. Duas Mercedes bem à frente, duas Ferraris tentando acompanhar, duas Williams isoladas, RBR com problemas, Lotus, Sauber e STR misturados e McLaren-Honda evoluindo pouco sem sair lá de atrás (pelo menos terminou com os dois carros).

Hamilton domina a prova e vence na ChinaEfe

Hamilton dominou todo o fim de semana e ganhou sem grandes problemas. Mostrou que a Mercedes segue sobrando em condições normais. Ficou claro para quem ainda sonhava com uma disputa mais equilibrada que Vettel só ganhou na Malásia por causa do forte calor e da estratégia de uma parada a menos. Sem isso, mesmo gastando menos pneus, a Ferrari não é páreo para a equipe alemã, apesar de ter um bom ritmo de corrida e andar mais perto. Basta ver a diferença de velocidade na classificação: Hamilton foi 0s9 mais rápido do que Vettel.

A reclamação de Rosberg de que Hamilton andou devagar demais antes da última parada (para poupar o pneu) e o atrapalhou, fazendo com que a Ferrari se aproximasse, é outra prova de como a Mercedes ainda sobra.

Williams atrás da Ferrari

A notícia triste é que a Williams ficou para trás. Massa fez o que pôde, tirou da cartola um quarto lugar na classificação, e chegou onde poderia: em quinto. Pódio só se evoluir. Essa é a realidade.

Dois talentos em alta

Nasr voltou a se destacar e a pontuar. Pela primeira vez foi ao Q3, fez boa largada e corrida consistente. Assim vai longe, como Vestappen, que andou muito, mas foi traído pelo motor Renault no fim.

Alemão atropelado

Impressiona como Rosberg vem sendo atropelado por Hamilton. Não chega nem perto de brigar pela vitória ou pelo título. A birra do alemão neste domingo é prova de que está incomodado com a situação. E sejamos sinceros: se fosse Rosberg em primeiro, andando mais lento que Hamilton, alguém duvida de que o inglês teria ultrapassado o companheiro? A diferença técnica entre os dois é grande.

Você pode gostar