Por pedro.logato

Rio - Quando o árbitro João Batista Arruda não teve coragem de expulsar Jonas no Vasco e Flamengo, estava na cara que o jogo iria degenerar, com o público sendo lesado na expectativa de assistir a um bom clássico. Houve licença para pancadaria e não há inocentes na questão. Os dirigentes são caóticos, pressionam árbitros e chegam ao cúmulo de reclamar mesmo quando beneficiados, como foi o caso do presidente Bandeira de Mello. Ele reclamou (?) do árbitro por terminar o jogo ( já com atraso) num contra-ataque do Flamengo. Os jogadores reclamando de tudo, simulam faltas e se excedem em entradas desleais. E os árbitros aceitam as pressões e apitam de acordo com a força política de cada clube, do mando de campo e do marcador. Sobrou mesmo para o torcedor.

Após a falta de Jonas%2C uma confusão foi iniciada entre jogadores e árbitroMárcio Mercante

ABSURDOS

A federação, com a omissão dos dirigentes, conseguiu piorar o já esvaziado Carioca. A fórmula anterior, com dois turnos, era bem razoável, mas resolveram tumultuar com pontos corridos, a Taça Rio ficou para bajular os pequenos e desvalorizaram a Taça GB. O regulamento piorou com o inchaço das semifinais e a excrescência de empates valerem mais do que vitórias iguais.

OS DOIS JOTAS

Jefferson e Jobson balizam a semana decisiva do Botafogo e são fatores preocupantes. O time, já carente, sofre muito sem a liderança e a competência do goleiro, principalmente se houver decisão por pênaltis.E Jobson anda atrapalhando. Reclama de substituições e, por egoísmo, perde bolas que propiciam contra-ataques fatais aos adversários.

O AMEAÇADO

Fred corre algum risco de suspensão e de ficar fora do segundo jogo contra o Botafogo. Se isso ocorrer, será tremenda injustiça até porque as declarações não foram ofensivas e seria uma interferência descabida do TJD. É claro que jogadores e treinadores poderiam conter um pouco os desabafos para evitar complicações até porque, de cabeça quente, acabam falando bobagem.

DESCOMPASSO

A diretoria do Flamengo faz excelente trabalho na parte administrativa. Empreende importante saneamento financeiro com responsabilidade fiscal e até segurando contratações para tornar brevemente o clube mais forte. Mas pressiona indevidamente os árbitros, mantém relações hostis com outros clubes e insiste em política ultrapassada.

Você pode gostar