Por pedro.logato

Rio - A placa de titânio no assoalho do carro para criar faíscas deu um visual mais próximo dos grandes anos da F-1 e foi ótima ideia. No Bahrein, foi espetacular ver as faíscas no meio de uma disputa na freada do fim da reta. Só que a categoria segue com um problema crônico para atrair mais fãs: a falta de disputa pela vitória, que em 2015 tende a ser praticamente zero, tamanha a superioridade da Mercedes e, principalmente, de Hamilton sobre Rosberg. O inglês voltou a vencer com facilidade ontem, sem ser incomodado em momento algum. São nove vitórias nas últimas 11 corridas (quatro poles seguidas). Enquanto isso, o alemão vai ladeira abaixo. Já são quatro GPs sem chegar perto para tentar a ultrapassagem sobre o companheiro e soma nove corridas atrás dele nas últimas dez em que ambos terminaram. É uma surra e Rosberg se mostra destruído mentalmente e moralmente. Sob pressão, errou na classificação (largou em terceiro) e errou feio no fim da corrida de ontem, perdendo a segunda posição para Raikkonen, que aliás fez bela corrida e voltou ao pódio, o que não acontecia desde a Coreia, em 2013. Se o panorama da temporada continuar assim no início da fase europeia, Hamilton será tricampeão mais cedo que eu imaginava.

Lewis Hamilton venceu mais um GPEfe

UM DIA CHEGA LÁ

A Ferrari segue em evolução. Mais rápida, foi para a primeira fila do grid com Vettel e Raikkonen superou Rosberg na base da estratégia por poupar mais pneus. Mas ainda falta para brigar pela vitória.

'ESTÁ RUIM, MAS ESTÁ BOM'

Button nem largou com problemas elétricos (ficou no Twitter comentando a corrida) e ainda assim a McLaren comemora: Alonso foi para o Q2 no treino e ficou em 11º, à frente de Sauber e Force India. Que fase!

BRASILEIROS EM DIA RUIM

Nasr correu bem, brigou contra o carro desequilibrado, fez boas ultrapassagens e mesmo assim ficou em 12º. A Sauber começa a ficar para trás. Já Massa teve muito azar: problema elétrico o fez largar nos boxes, ficou preso no trânsito e ainda sofreu com os pneus e o carro. Marcou só um ponto e não tem o que comemorar vendo Bottas em quarto.

Você pode gostar