Por jessica.rocha

Rio - A próxima etapa do Circuito Mundial de Surfe no Rio de Janeiro se aproxima, e com ela a ansiedade dos surfistas brasileiros só aumenta. Líder do ranking mundial, com 24.500 pontos, Adriano de Souza falou sobre a expectativa de poder atuar novamente no Brasil.

Além de falar da agitação que o cerca no país, Mineirinho, que está hospedado em frente à Praia do Postinho, na Barra da Tijuca, aonde será realizada a etapa do evento, também comentou sobre a pressão e a preparação para usar a camisa amarela.

"Tive dias muito agitados, mas com agitação boa, como dar entrevistas, que foram muitas, além de encontrar família, noiva e, claro, poder treinar bastante e fazer minhas sessões de fisioterapia. Posso dizer que este ano foi bem mais concorrido que os outros, talvez pela maior exposição do nosso trabalho junto ao público e pelo interesse enorme da mídia. Mas achei muito positivo e muito gostoso o carinho de todos comigo nesses dias aqui no Brasil", afirmou o atual número 1.

Mineirinho é o atual líder do ranking mundialDivulgação

Questionado sobre a pressão de atuar "em casa", Mineirinho ressaltou que a cobrança é feita todo dia, mas disse que defender a liderança do campeonato nas águas da Cidade Maravilhosa é um incentivo a mais na disputa.

 "Eu me cobro sim, mas para dar o meu melhor. A pressão ela sempre existiu, nunca deixou de existir. Ela é inclusive mais forte quando você tenta chegar lá. Quando se é o primeiro do ranking e a etapa é em casa, bate um certo frio na barriga, pois a gente não quer decepcionar. Mas o carinho e o incentivo das pessoas é tanto que essa pressão ajuda a querer dar mais e mais pra recompensar quem for para o Postinho", acrescentou.

Com um bom retrospeco no Rio de Janeiro, Adriano de Souza foi o primeiro surfista brasileiro da história a ficar em 1° lugar no WCT, fato ocorrido em 2011, quando venceu a terceira etapa do mundial na Barra da Tijuca. O atual líder do ranking mundial espera poder repetir o feito e disparou que irá com "sangue nos olhos" em busca do título.

"Tenho um bom retrospecto na etapa brasileira, já venci, já fui vice e sei como chegar lá. Eu quero um outro bom resultado aqui, para mim é essencial no caminho ao título. Não posso descartar uma etapa e o fato de a próxima ser no Brasil me impulsiona ainda mais a conquistar outro pódio ou, se possível, uma outra vitória. Vou com sangue nos olhos para isso!", finalizou.

Você pode gostar