Com sufoco, Inter encerra mística do Galo e vai às quartas da Libertadores

Colorado derrotou o Atlético-MG por 3 a 1 no Beira-Rio

Por O Dia

Rio Grande do Sul - O torcedor do Atlético-MG podia até acreditar até o fim, mas nas arquibancadas lotadas do Beira-Rio o sentimento era de certeza antes mesmo de a bola rolar: o Internacional venceu o Galo nesta quarta-feira por 3 a 1 e está classificado para as quartas de final da Taça Libertadores. A temida mística atleticana voltou a aparecer, mas não afetou mais uma vez Valdívia e o Colorado. Autor de um dos gols no empate por 2 a 2 no jogo de ida em Belo Horizonte, o jogador voltou a ser decisivo e, com um belo toque de cobertura, marcou ainda no primeiro tempo o gol que abriu o caminho para a permanência da equipe gaúcha na competição.

Com outro golaço também na etapa inicial, D'Alessandro pretendia acabar com as esperanças do torcedor alvinegro mais crédulo e esperançoso em uma virada improvável. Impossível. O Galo reuniu forças no segundo tempo e foi atrás do empate. Gerou dúvidas na certeza da torcida colorada ao diminuir com Lucas Pratto e, na sequência, acertar o travessão com o Luan, mas não foi capaz de fazer mais um milagre. O balde de água frio definitivo veio aos 34 minutos, quando Dátolo deu um presente para Lisandro López marcar e fortalecer o grito de "eu acredito", marca da torcida atleticana, no lado mais do que vermelho do Beira-Rio. O Inter agora enfrenta o Independiente Santa Fé, da Colômbia, que eliminou ontem o Estudiantes de La Plata, da Argentina. A primeira partida das quartas de final está marcada para o estádio El Campín, em Bogotá, no próximo dia 20.

Internacional derrotou o Atlético-MGEfe

As duas equipes entraram em campo com desfalques importantes. Pelo lado do Colorado, Nilmar não se recuperou de um desconforto muscular e foi substituído por Lisandro López. Já Valdívia ganhou a disputa com Jorge Henrique e começou entre os titulares. Levir Culpi perdeu o lateral-direito Marcos Rocha, que sentiu uma fisgada durante o treino da terça-feira, já em Porto Alegre, colocando Patric em campo. Guilherme, curado de um problema na coxa esquerda, seguiu no banco, dando lugar a Thiago Ribeiro. Precisando da vitória, o Galo começou a partida pressionando o adversário no campo defensivo. Mas apesar do domínio, quem ameaçou primeiro foram os donos da casa, aproveitando exatamente do espaço cedido pelo posicionamento avançado do Atlético no campo. Aos 7 minutos, Lisandro López foi lançado na ponta esquerda, conduziu a bola pela intermediária e invadiu a área, chutando cruzado com muito perigo contra o gol de Victor. O Galo respondeu em um lance semelhante aos 16. Lucas Pratto levou a melhor contra a zaga do Inter e encontrou Luan. O atacante invadiu a área e chutou cruzado, mas acabou pegando mal na bola, pouco assustando o goleiro Alisson.

Recuperado da pressão inicial do adversário, o Inter começou a controlar a partida, contendo o ímpeto do Galo. E ampliou a vantagem em mais uma bela jogada de Valdívia, um dos heróis do jogo de ida na Arena Independência. O meia, dúvida até antes do jogo, recebeu lançamento de Lisandro López na esquerda e, no meio de dois defensores, percebeu Victor adiantado, tocando por cobertura sobre o goleiro do Galo para abrir o placar para os donos da casa aos 21 minutos. Abalado pelo gol, o Atlético começou a explorar um de seus principais pontos fortes: as bolas levantadas na área. Primeiro, aos 27, Dátolo cruzou, Leonardo Silva escorou e Jemerson tentou de bicicleta, mas chutou sem direção. Cinco minutos mais tarde, Thiago Ribeiro recebeu de costas para a defesa, girou com rapidez e chutou bonito, obrigando Alisson a se esticar para colocar a bola para escanteio. Na cobrança, Jemerson subiu mais alto que a defesa e marcou de cabeça. O árbitro chileno Julio Bascuñán, no primeiro momento, confirmou o gol, mas depois voltou atrás, indicando um empurrão de Leonardo Silva em Rodrigo Dourado no lance. Mas a noite era mesmo do Internacional.

Aos 45, D'Alessandro fez outra pintura no Beira-Rio. O meia argentino também limpou dois defensores na ponta esquerda da área e chutou com muita categoria no ângulo direito de Victor, sem chances para o goleiro atleticano. Para a volta do intervalo, Levir Culpi decidiu partir para o tudo ou nada, já que precisava de pelo menos dois gols para levar a partida para os pênaltis. E tirou Leandro Donizete e Thiago Ribeiro para colocar Maicosuel e Giovanni Augusto em campo. Pelo lado do Inter, Aguirre foi obrigado a susbtituir Eduardo Sasha, com dores no joelho, por Jorge Henrique. Mais exposto após as alterações, o Galo cedia espaços para o Inter, que quase ampliou aos 6 minutos. Lisandro López se livrou de Jemerson na entrada da área e foi derrubado. Valdívia cobrou com perigo, no contrapé de Víctor, que conseguiu voltar a tempo e fazer a defesa.

As mudanças, no entanto, começaram a surgir efeito aos 13 minutos. Maicosuel fez grande jogada na entrada da área e tocou para Lucas Pratto, livre, tocar no canto após a saída de Alisson, diminuindo a vantagem dos donos da casa. O Galo quase empatou aos 17. Patric cruzou rasteiro da direita, Pratto se antecipou e obrigou Alisson a fazer grande defesa. No rebote, Luan, livre, chutou forte demais. A bola bateu no travessão e saiu, para o alívio da torcida do Inter. Alisson salvou outra vez aos 20. Dátolo foi à linha de fundo pela esquerda, mas o goleiro do Inter se esticou e tirou a bola dos pés de Pratto, que se preparava para marcar. Victor também precisou aparecer aos 30. Após rápido contra-ataque do Inter, Aránguiz dividiu com Jemerson. A bola foi na direção do gol do Atlético, quase surpreendendo o goleiro, que se esticou para tocar e desviar a bola para escanteio. As esperanças atleticanas levaram um novo balde de água fria aos 34 minutos, após um vacilo incrível de Dátolo. O meia recuou mal após cruzamento de Valdívia, dando um presente para o compatriota Lisandro López, que só teve o trabalho de tirar de Victor e ampliar o placar para o Colorado.

Ainda acreditando na virada cada vez mais impossível, o Atlético seguiu pressionando. E abafou o Inter no campo defensivo nos minutos finais. Alisson, um dos grandes destaques do Inter até então, quase se transformou em vilão aos 44. Após cruzamento da direita, o goleiro subiu livre e acabou soltando a bola. No rebote, Jemerson acabou chutando para o alto, desperdiçando a chance de diminuir o placar, encerrando a luta do Galo para permanecer na Libertadores.

Últimas de Esporte