Os 7 a 1 seguem fazendo vítimas

Felipão foi demitido após derrota do Grêmio no Brasileirão

Por O Dia

Rio - Como mais ou menos se esperava, Felipão caiu no Grêmio após bom tempo sendo alvo de críticas ferozes e considerado o maior responsável pelo jejum de títulos e vitórias. Claro que a maior culpa não foi dele, pois o Grêmio é limitado, mas, ao mesmo tempo, Felipão não trouxe ideias novas e deixou-se levar pela mesmice. Os 7 a 1 da Copa continuam como uma faca no pescoço dos envolvidos, mas também dos treinadores brasileiros, que nunca atravessaram fase de tanto desprestígio. Eles estão imprensados entre a falta de recurso dos clubes e uma geração de jogadores que não passou por uma evolução natural. O fardo dos 7 a 1 vai pesar por muito tempo, mas poderá ser também um desafio para a criatividade dos técnicos brasileiros, a maior parte acomodada e ultrapassada.

Felipão foi demitido do GrêmioDivulgação

PARADA DURA

O Figueirense não tem nada demais e se segura na garra e na boa organização proposta por Argel. Mas é muito dispersivo nas conclusões. O Botafogo tem boas chances — apesar dos desfalques de Marcelo Mattos e Sassá. Outro problema é o retrospecto favorável ao Figueirense e cujo símbolo maior fica naquele jogo da Copa do Brasil com a famosa bandeirinha Ana Paula.

DESTA VEZ, VAI

Não é possível que o Vasco se enrole contra o Cuiabá. A desculpa de que as bolas não estão entrando é ridícula e não vale reclamar da previsível retranca. No primeiro jogo, o Cuiabá foi superior na técnica e na determinação e não será aceitável que jogadores razoavelmente pagos neguem fogo. Classificação hoje é obrigação. Senão, cabeças podem rolar.

TENSÃO NA GÁVEA

Vanderlei Luxemburgo é um treinador vítima das circunstâncias e não tem sabido lidar com elas, até pelas fortes cobranças e altas expectativas. Há dirigentes no Fla que o responsabilizam pelos maus resultados e pela campanha pífia no Carioca, além do péssimo início no Brasileiro. Se os craques não chegarem a tempo, Luxa será um suculento bode expiatório.

GRANDE JOGO

Ao lado do Atlético-MG, o Inter é uma das poucas atrações do futebol brasileiro e hoje tem jogo difícil contra o Santa Fé, na Libertadores. Com destaques como D’Alessandro, Valdivia e Lisandro López (ainda conta com Nilmar e Vitinho no banco), pode trazer um bom resultado. Será um jogo alucinante, mas o Inter, depois, deve decidir bem em Porto Alegre.

Últimas de Esporte