No Fluminense, a lógica da quilhotina

Tricolor Carioca anunciou a saída de Ricardo Drubscky

Por O Dia

Rio - Um dia depois da queda de Felipão, a saída de Drubscky (foto)do Flu ajustou logo a velha estatística da queda de um profissional por rodada, só que neste ano já começando muito cedo. Assim como está acontecendo com Vanderlei no Fla, Drubscky já estava sendo fritado, mas ainda se esperava que tivesse mais tempo. A goleada do Galo precipitou tudo, mas a torcida sabe que os problemas tricolores vão muito além. O clube está sem rumo no futebol e financeiramente abalado. Drubscky, claro, teve a sua parcela de culpa por não impor padrão tático. Faltou-lhe também certo carisma para conquistar a confiança do grupo. Com o nível atual de mediocridade, os treinadores serão, cada vez mais, a primeira vítima de dirigentes sem ideias e de elencos sem talento.

Ricardo Drubscky não é mais o treinador do FluminenseDivulgação

DE DUDU AO PADEIRO

Há um elo entre um garoto do Palmeiras — Dudu —, que se julga craque antes da hora e agride um árbitro, e o tal de Adrián Napolitano, que jogou gás de pimenta nos jogadores do River. Eles acham que podem ultrapassar os limites para se impor, não aceitam punições e querem vencer na base da intimidação, da violência. Às vezes, demora, mas o futebol acaba punindo essa gente.

O TESTE DO RIVER

Depois do tumulto que envolveu o jogo contra o Boca, o River está nas paradas e com a missão de mostrar sua verdadeira face. É aquele time sem brilho, pior colocado na fase de classificação, ou o vibrante que complicou o Boca. O Cruzeiro, enfraquecido em relação ao ano passado, vai fazer esse teste. O jogo deve ser muito equilibrado.

A QUESTÃO

O problema Dagoberto-Eurico rendeu e, no fim, ficou a impressão de que o cartola defendeu o Vasco e que o atleta saiu com o rabo entre as pernas. Até admite-se que o jogador poderia ter evitado a ênfase no comentário, mas está certo. Eurico tapa o sol com a peneira na base da censura e ninguém pode pensar na ditadura cruzmaltina. Juninho Pernambucano não tolerou isso.

A POSSÍVEL TRÍPLICE

Em jogo em que as defesas levaram vantagem sobre os ataques, a Juve acabou impondo a sua maior categoria, venceu a Lazio na prorrogação, conquistou a Copa Itália e habilitou-se à Tríplice Coroa na decisão da Liga, dia 6, em Berlim. Se, como se espera, o Barça faturar a Copa do Rei, estará em jogo no Estádio Olímpico a Tríplice Coroa.

Últimas de Esporte